Nova premiê britânica Liz Truss diz que vai abordar problemas imediatamente

Liz Truss em Downing Street

LONDRES (Reuters) - Liz Truss assumiu o cargo de primeira-ministra britânica nesta terça-feira, prometendo ação imediata para enfrentar um dos desafios mais assustadores para um novo líder no período pós-guerra, com preços de energia nas alturas, uma recessão iminente e conflitos industriais.

Truss, que mais tarde anunciará suas indicações para o governo, disse que tem três prioridades: fazer a economia crescer por meio de cortes de impostos, lidar com o aumento nos custos de energia a partir desta semana, e garantir que as pessoas recebam os cuidados necessários do Serviço Nacional de Saúde estatal.

"Estou confiante de que juntos podemos enfrentar a tempestade. Podemos reconstruir nossa economia e podemos nos tornar o Reino Unido moderno e brilhante que sei que podemos ser", disse Truss, em frente ao imóvel de nº 10 na Downing Street, residência oficial do premiê britânico.

No entanto, ela herda uma economia em crise, com inflação de dois dígitos, o custo da energia subindo e o Banco da Inglaterra alertando para uma longa recessão até o final deste ano. Diversos trabalhadores pelo país já entraram em greve.

"Sei que temos o que é preciso para enfrentar esses desafios. Claro, não será fácil, mas podemos fazê-lo", disse Truss.

A nova primeira-ministra abordará as últimas crises que atingem o Reino Unido com uma mão política mais fraca do que muitos de seus antecessores.

Boris Johnson, que tentou se agarrar ao poder em julho apesar de ministros renunciarem em massa devido a uma série de escândalos, disse a repórteres e políticos reunidos em Downing Street nesta terça-feira que o país deve se unir.

O Reino Unido, que está sob o governo conservador desde 2010, tropeçou de crise em crise nos últimos anos e agora se depara com a perspectiva de uma longa emergência energética, que pode drenar as economias das famílias e ameaçar o futuro das empresas ainda sobrecarregadas pelos fardos de empréstimos da era da pandemia de Covid-19.

(Reportagem de William James e Kate Holton)