Nova remessa da CoronaVac será distribuída na próxima semana no Rio junto da segunda dose da vacina

Felipe Grinberg
·2 minuto de leitura
Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO — O governo do Rio vai começar a distribuir na próxima terça-feira a nova remessa de doses da vacina da CoronaVac que chegou nesta semana ao estado. Os 92 municípios devem receber a metade das 88 mil novas doses na mesma proporção das outras remessas, com pequenos ajustes dependendo de situações particulares, como grupos prioritários ainda não imunizados por falta devacina. A outra metade vai ficar sob administração da secretaria estadual de Saúde e só será enviada para as cidades fluminenses quando for o momento de aplicar o reforço.

Junto da nova remessa, a secretaria de Saúde vai enviar a outra metade do primeiro lote da Coronavac para os municípios realizarem a aplicação do reforço de quem foi imunizado no primeiro momento. A recomendação da SES é que os município apliquem a segunda dose três semanas depois da primeira, mas ela pode ser aplicada em até 28 dias depois.

Até o momento no Rio já foram imunizadas 157.075 pessoas contra a Covid-19. O número, porém, deve ser maior, já que o levantamento está sendo realizado pelo governo do estado ativamente, pois há a leitura que os municípios, principalmente de menor porte, demoram a inserir os dados individuais no sistema nacional do Ministério da Saúde.

Somente na capital, com os números divulgados nesta quinta-feira à noite pela secretaria estadual de Saúde, há uma diferença de 32 mil pessoas vacinadas a menos do que informado pela prefeitura do Rio. Não há, no momento, um controle da secretaria de saúde do Rio de quais vacinas estão sendo aplicadas, já que a contagem é do número de imunizados, mas não há relatos de atrasos na imunização nos municípios.

Com a distribuição das novas doses na próxima semana, a capital já divulgou um calendário para vacinar idosos que não são profissionais de saúde. A expectativa é que na próxima segunda, pessoas com 99 anos ou mais possam ser imunizadas. O governo do estado, porém, ainda trabalha com cautela para o avanço dos grupos de vacinação:

— A orientação é que com as doses disponibilizadas no momento é vacinar 100% do público alvo inicial e havendo sobra de doses se avança para o restante e havendo doses restantes, como os idosos — afirma Alexandre Chieppe, médico da secretaria Estadual de Saúde.

Chieppe ainda afirma que o Rio vai seguir todas as orientações que tiverem no Plano Nacional de Imunização, e por isso, descarta neste momento aumento do intervalo entre as doses da Coronavac como é estudado. A compra de vacinas diretamente pelo estado também não é cogitada.

— Desde o começo estamos seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde e do PNI. Não há conversas para o Rio adquirir sozinho vacinas — afirma.