Nova York se dispõe a reabrir restaurantes no Dia dos Namorados

·1 minuto de leitura
Proprietários de restaurantes em Nova York forram toalhas em mesas externas em Nova York em 29 de dezembro de 2020

Se a taxa de testes positivos para covid-19 continuar a cair, os restaurantes de Nova York poderão reabrir suas portas para almoços e jantares em espaços fechados a partir do Dia dos Namorados, em 14 de fevereiro, disse o governador Andrew Cuomo nesta sexta-feira (29).

A capacidade dos estabelecimentos, porém, deverá ser limitada a 25%, explicou Cuomo em coletiva de imprensa.

"Agora já podem reservar uma mesa, planejar o jantar, pedir a mão de alguém em casamento no Dia dos Namorados", brincou.

O anúncio é no mínimo um prêmio de consolação para os bares e restaurantes da cidade, muitos dos quais faliram enquanto outros lutam para sobreviver com entregas e mesas instaladas do lado de fora.

A taxa de positividade para covid-19 na cidade caiu de 7,1% no início de janeiro - um índice elevado devido às festas de fim de ano - para 4,9% nesta sexta-feira, informou o governador.

"Todos os modelos projetam que esse número continuará caindo", disse ele.

Mais de 26 mil pessoas morreram de coronavírus em Nova York desde o início da pandemia em março de 2020.

A cidade inicialmente baniu as refeições dentro dos restaurantes, mas voltou a permitir em setembro. Depois, proibiu novamente em dezembro.

Pelo menos mil restaurantes na cidade fecharam devido à pandemia, de acordo com o site Eater. Isso levou ao desemprego de 140 mil trabalhadores do setor, segundo a NYC Hospitality Alliance.

Vários restaurantes montaram estruturas exteriores, na rua ou na calçada, mas mesmo com fogueiras e cobertores emprestados, o frio desanima os clientes (nesta sexta a temperatura era de -6ºC).

Se a trajetória do vírus seguir descendo, casamentos com até 150 convidados serão permitidos a partir de 15 de março, afirmou Cuomo.

bur-lbc/dga/ic