Nova Zelândia proíbe que estrangeiros comprem casas no país

(Pixabay)

Uma lei aprovada pelo parlamento da Nova Zelândia impede que estrangeiros comprem casas no país. A medida foi tomada depois de uma série de protestos públicos que aconteceram depois que foi revelado que o fundador do PayPal, Peter Thiel, partidário de Donald Trump, conseguiu a cidadania neozelandesa, mesmo não atendendo aos requisitos.

O país tem se deparado com uma crescente tendência de compra de milionários de todo o mundo, que buscam locais para passar as férias ou para abrigos em caso de desastres naturais. No ano passado, a revista New Yorker chegou a apontar o destino como o favorito de ricos que desejam sobreviver a um apocalipse. O governo também se preocupa com o aumento de investidores chineses em Auckland, maior cidade da Nova Zelândia, que tem sofrido com o aumento no preço da moradia, facilitando o acesso de pessoas mais ricas e dificultando a sobrevivência dos cidadãos.

Para se ter uma ideia, nos últimos 10 anos houve um aumento de 60% no preço dos imóveis residenciais no país. Com um preço tão alto, pouca gente consegue conquistar a casa própria.

Como vai funcionar?

Pela nova lei, pessoas nascidas em outros países estão proibidas de comprar casas já existentes a menos que tenham a permissão do Serviço de Investimento Estrangeiro do país. Compradores de Cingapura e da Austrália não estão sujeitos à regra por conta de acordos comerciais. Imóveis novos estão liberados para a compra.