Novas negociações políticas venezuelanas serão retomadas em 26 de novembro

Jorge Rodriguez, presidente da Assembleia Nacional

Por Vivian Sequera e Mayela Armas

CARACAS (Reuters) - O governo e a oposição da Venezuela retomarão as negociações políticas depois de mais de um ano, em 26 de novembro, no México, disse o Ministério das Relações Exteriores da Noruega nesta quinta-feira.

A Noruega, que está mediando as negociações, anunciou no Twitter que as partes assinariam um "acordo parcial sobre questões sociais".

As negociações podem ajudar a abrir caminho para afrouxar as sanções dos EUA ao país membro da Opep, ajudando a aliviar sua longa crise política e econômica e abrindo as portas para Washington liberar operações expandidas da Chevron Corp. no país.

As negociações anteriores foram suspensas em outubro de 2021 pelo governo do presidente Nicolás Maduro, incomodado com a extradição para os EUA de um empresário com vínculos com seu governo.

Espera-se que as negociações no país anfitrião, o México, incluam um "plano social" para fornecer ajuda humanitária de cerca de 3 bilhões de dólares em fundos administrados pela ONU, assim como a discussão das sanções dos EUA sobre a Venezuela, eleições presidenciais e o status de centenas de presos políticos.

"Estamos convencidos de que este acordo social abrirá as portas para avançar na extensa agenda de diálogo nacional, no cumprimento de todos os seus objetivos para o bem de nosso país", disse Jorge Rodriguez, presidente da Assembleia Nacional, dominada pelo partido governista, em uma declaração por escrito logo após o anúncio.

Brian Nichols, do Departamento de Estado dos EUA, saudou o retorno ao diálogo entre as partes.

"Esperamos que eles trabalhem para aliviar os desafios humanitários enfrentados pelos venezuelanos e eleições livres e justas", disse ele no Twitter.

(Reportagem de Vivian Sequera, Deisy Butrago e Mayela Armas em Caracas)