Nove acusados de integrar quadrilha do miliciano Ecko são presos no Rio

Pâmela Dias*
·1 minuto de leitura

RIO — Nove acusados de integrar a quadrilha do miliciano Wellington da Silva Braga, o Ecko, foram presos na madrugada desta quarta-feira (30), durante operação da Polícia Civil, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, quando faziam a venda de drogas. Junto com os criminosos foram apreendidos uma pistola, munições, identidades e distintivo falsos, cartões de crédito, máquinas de cartão, um notebook, além de pacotes de maconha e cocaína. A ação criminosa era realizada com apoio de uma moto e um carro. No interior deste veículo foi encontrado um caderno com anotações de pagamentos e arrecadações, no qual os acusados faziam os cálculos dos entorpecente vendidos.

A narcomilícia de Ecko é conhecida por vender drogas ilícitas e cometer crimes como sequestros e extorsões de criminosos de facções rivais, passando-se por agentes da polícia. Durante a operação policial nesta madrugada, foi encontrado um distintivo falso da Polícia Civil na cintura do traficante Valcir Francisco Dos Santos.

De acordo com o delegado titular da Delegacia de Combate às Drogas (DVOD), Marcus Amim, um dos integrantes, identificado como Daniel Felipe Xavier Sudre, estava entre os milicianos presos em abril de 2018, durante uma festa no sítio de Ecko. Na ocasião, 149 pessoas acusadas de envolvimento com a milícia foram detidas.

Todos foram conduzidos à sede da delegacia, onde foram autuados por crime de milícia, tráfico de drogas e porte de arma de fogo.

* Estagiária sob supervisão de Giampaolo Morgado