Nove anos depois, caso de Trayvon Martin, adolescento negro assassinado é relembrado nas redes sociais

Agências internacionais
·1 minuto de leitura

A poucos dias de completar nove anos do assassinato de Trayvon Martin, o nome do jovem negro tornou a ser lembrado nas redes sociais nesta sexta-feira, data em que celebraria 26 anos de idade. O rapaz foi alvejado pelo vigilante voluntário George Zimmerman no dia 26 de fevereiro de 2012, quando voltava para a casa do pai em Sanford, na Flórida.

Na ocasião, Zimmerman perseguiu Martin com o carro, sob a suspeita de que o rapaz teria sido responsável por uma série de arrombamentos na região. O vigilante, então, atirou em Martin, que tinha 17 anos na época, e, posteriormente alegou ter agido em legítima defesa.

— Você deixou este mundo, mas nunca o meu coração — disse a mãe de Trayvon, Sybrina Fulton, no Twitter. — Nem mesmo a morte do meu filho/meu sol vai ser capaz de separar o amor de uma mãe.

O perfil oficial do movimento Black Voters Matter também se manifestou nas redes:

— Nós lembramos do impacto que a morte dele teve sobre o país, sobretudo nas comunidades negras. Que continuemos honrando a sua vida através das lutas pela justiça racial, espalhando o amor e construindo o poder.

Trayvon Martin foi morto após ser atingido por um disparo no peito, efetuado pelo vigilante com uma pistola 9 milímetros legalmente registrada. Zimmerman chegou a ser interrogado pela polícia na época do crime, mas foi solto sem a formalização da acusação com a abertura de um inquérito. Em 2013, o vigilante foi inocentado das acusações de assassinato em segundo grau e de homicídio culposo.

A morte de Martin reacendeu o estigma racial nos Estados Unidos em 2012, levando milagres de pessoas às ruas em manifestação contra a absolvição de Zimmerman e na luta pelo movimento negro.