Nove esculturas de Fernando Botero são vandalizadas em Medellín

·1 minuto de leitura
Detalhe de uma escultura do colombiano Fernando Botero vandalizada em sua cidade natal, Medellín, em 16 de dezembro de 2020

Parte da coleção de estátuas de bronze, doada pelo artista Fernando Botero a Medellín, sua cidade natal, foi vandalizada com "substâncias químicas" e corantes em pó, denunciou a prefeitura local, que ofereceu recompensa nesta quinta-feira (17) pela localização dos responsáveis pelo ataque.

Nove das 23 obras apareceram com manchas nas cores roxa e violeta. "Não sai com água, manchou o chão, o pedestal e os bronzes", lamentou o prefeito de Medellín, Daniel Quintero, no Twitter.

A autoridade ofereceu 10 milhões de pesos (3.000 dólares) a quem ajudar a identificar os autores dos "atos de vandalismo".

Botero, de 88 anos e radicado na Itália, é o artista colombiano mais valorizado no mundo.

Em 2011, ele doou esta coleção de estátuas, exposta na Praça Botero, no centro de Medellín.

Segundo Quintero, esta é a segunda vez que as obras sofrem com atos de vandalismo este ano e a restauração pode chegar a custar 150.000 dólares.

Famosas pela voluptuosidade, as estátuas de Botero estão expostas em cidades como Nova York, Barcelona e Buenos Aires.

jss/vel/dg/mvv