Como Cássia Kis é tratada nos bastidores de "Travessia" após polêmicas? Ana Lúcia revela!

Ana Lúcia Torre não tem uma relação pessoal com Cássia Kis (foto: TV Globo/Imprensa Globo)
Ana Lúcia Torre não tem uma relação pessoal com Cássia Kis (foto: TV Globo/Imprensa Globo)

Resumo da Notícia:

  • "Travessia" é a novela das nove da Globo escrita por Gloria Perez

  • Ana Lúcia Torre, a tia Cotinha, rejeita falas e atitudes de Cássia Kis

  • A atriz contou ao Yahoo como têm lidado com a colega nos Estúdios Globo

O clima nos bastidores deTravessianão é tão ameno quanto no começo da trama, em outubro. À época, bolsonaristas e petistas conviviam harmonicamente em meio às eleições, mas agora parece ter uma divisão e isolamento da conservadora Cássia Kis do restante do grupo.

Isso porque a veterana tem causado cada vez mais polêmica com seu apoio irrestrito e inquestionável ao presidente Jair Bolsonaro (PL), que foi derrotado no pleito e deixará o Palácio do Planalto no fim de 2022. Ela vinha fazendo campanha para o político, mas atualmente reforça atitudes de ruptura institucional e golpe de estado pedido pelos bolsonaristas.

Além das atitudes antidemocráticas, Cássia também fez declarações homofóbicas em uma conversa com Leda Nagle. O conjunto de atitudes da atriz levou uma série de colegas de trabalho a fazer reclamações formais contra Kis no setor de compliance da Globo.

Em conversa com o Yahoo, a atriz Ana Lúcia Torre, que vive a Tia Cotinha na novela de Gloria Perez, conta como têm gravado e convivido com a colega de elenco nos corredores e camarins dos Estúdios Globo.

“Trabalho com ela, né? Então quando estamos juntas ela é a Cidália [personagem]. Foi a solução que encontrei para mim para não ficar um clima nesse ambiente. Somos profissionais, estamos no local de trabalho e tem outras pessoas envolvidas ali”, ressaltou Ana Lúcia Torre.

Ana Lúcia já trabalhou com Cássia em “Amor Eterno Amor”, em 2012, e condenou as recentes falas homofóbicas da colega. “Não foi uma coisa agradável para mim. Não vou dizer em nome dos outros do elenco, mas essas falas homofóbicas, as manifestações, não fazem o meu gênero”, declarou.

Uma mulher de fé, tal qual Kis, Torres se guia por ensinamentos profundos do cristianismo. “Meu Deus é agregador. Ele não é preconceituoso. O princípio básico da bíblia é: “amai ao próximo como a ti mesmo”. E todas as criaturas são feitas a imagem de Deus. Então, como não vou gostar de uma pessoa negra apenas porque sou branca? É meu irmão em Cristo. Existem atitudes por aí que não gosto”, conclui.