"Travessia" pode ser encerrada e substituída antes do previsto

Jade Picon e Chay Suede em
Jade Picon e Chay Suede em "Travessia"; novela pode ser encerrada e substituída por novo folhetim de Walcyr Carrasco antes do previsto (Foto: Estevam Avellar/Globo)

Com baixos índices de audiência e repercussão negativa nas redes sociais, "Travessia", nova novela das 21h da Globo, pode ser encerrada e substituída por "Terra Vermelha", próxima produção de Walcyr Carrasco, antes do previsto.

Segundo informações do site Notícias da TV, a nova novela já está sendo produzida deste o início deste mês e tinha previsão de estreia para 10 de abril do próximo ano, com as filmagens começando em fevereiro.

Porém, com as mudanças, as gravações começariam no início de janeiro, já que os textos e escolha de locações estão em fase avançada. Ainda de acordo com o veículo, os números baixos de audiência já eram esperados por conta do período de eleições, podendo se estender até a Copa do Mundo e as festas de fim de ano.

Isso também já era esperado por Gloria Perez, autora da novela, que confessou, em conversa com a imprensa no lançamento de "Travessia", que o período eleitoral seria um dos maiores desafios a serem superados no lançamento: “As pessoas estão mais interessadas em ver sobre política que a novela. É uma época que tem o segundo turno das eleições, campeonatos de futebol, a Copa do Mundo”, explicou.

Competição com "Todas as Flores"

"Travessia" também enfrenta uma disputa de audiência com "Todas as Flores", nova novela da Globo, que estreou com pouca diferença da novela de Gloria Perez, o que pode ter acabado de vez com o interesse do público na trama estrelada por Chay Suede, Jade Picon e Lucy Alves.

A "rivalidade" entre os dois produtos é fruto da própria divulgação da emissora. Antes das estreias, a Globo anunciou as duas novelas ao mesmo tempo e as equiparou em qualidade. A quantidade de anúncios de "Todas as Flores" no horário nobre, mesmo depois do lançamento de "Travessia", também passou a ser vista como uma concorrência motivada pela casa.

O que não deu certo em "Travessia"

Antes da estreia, a divulgação de "Travessia" girou muito em torno da polêmica escalação de Jade, o que tirou o foco da trama principal da novela. Mas esse está longe de ser o x da questão. Uma junção de fatores explica a decepção do público com a novela de Gloria Perez.

A protagonista, por exemplo, tem conquistado o ranço dos telespectadores. Apesar do bom trabalho de Lucy Alves, não dá para entender a ingenuidade da mocinha. Em uma trama que fala de metaverso e outros termos tecnológicos, é difícil engolir uma personagem que fica longe da família e é praticamente dada como morta por não dar sinais de vida e não lembrar o telefone de casa.

Lucy Alves interpreta Brisa em
Lucy Alves interpreta Brisa em "Travessia" (Foto: Paulo Belote/Globo)

O excesso de gírias nos textos de personagens jovens também tem repercutido mal. Chiara, interpretada por Jade Picon, é quem mais sofre da síndrome. Em seu primeiro trabalho na dramaturgia, a ex-BBB ainda tem sido alvo de críticas pelo "sotaque carioca" extremamente forçado.

Para completar, os casais principais não dão liga. Se a intenção de Gloria Perez era ver o público torcendo por Ari (Chay Suede) e Brisa (Lucy Alves), ela já pode tirar o cavalinho da chuva. Enquanto isso, em "Todas as Flores", o ódio pela vilã Vanessa (Letícia Colin) é despertado logo nas primeiras cenas. Torcer por Rafael (Humberto Carrão) e Maíra (Sophie Charlotte) é quase um dever cívico. Sem falar na responsabilidade do autor João Emanuel Carneiro ao abordar a deficiência visual com o cuidado que merece.