Novembro começa com neve inédita em Santa Catarina

CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - O frio intenso e uma forte massa de ar polar que atingem Santa Catarina foram os responsáveis pela neve que caiu na manhã desta terça-feira (1º) na Serra de Urubici. O fenômeno nunca havia sido registrado no mês de novembro e deixou a temperatura negativa em 0,4°C, mas com a sensação térmica de -20°C.

De acordo com a medição do Epagri/Ciram (Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina), a neve caiu às 8h30 e atingiu as cidades de Urubici e Bom Jardim da Serra, que integram o Morro da Igreja, na Serra Catarinense.

O vento na região chegou a 69 quilômetros por hora.

Na cidade de Urupema, os termômetros marcaram 1,4°C na madrugada de segunda. No município de São Joaquim foi registrada chuva congelante, às 6h50, com temperatura de 3°C.

O meteorologista Clóvis Correa, do Epagri/Ciram, explica que ela acontece quando a neve derrete e recongela em contato com a superfície.

Na estação meteorológica de São Joaquim (rede do Inmet), que tem quase 40 anos de medição de dados, o menor registro de temperatura em meses de novembro é de -1,5ºC, em 5 de novembro de 1992, considerando toda a série histórica de medições, desde 1983.

O recorde, no entanto, pode ser superado nesta madrugada de Finados (2), quando a previsão é de -4°C no Planalto Sul.

"Geadas acontecem por aqui até mesmo no verão, mas neve nunca tínhamos registrado em novembro, nem temperaturas tão baixas, como as previstas para amanhã", aponta Correa.

A previsão para esta quarta é de 0°C, podendo chegar a -4°C na região do Planalto Sul do estado, com possibilidade de geada. A neve, no entanto, está descartada.

No Planalto Norte, as mínimas devem ficar entre 4°C e 6°C. Já no Vale do Itajaí e no litoral catarinense, as temperaturas devem ser mais amenas, entre 8°C e 12°C, devido à nebulosidade.

Para quinta e sexta-feira, porém, a tendência é o tempo abrir. "Pode haver nebulosidade, mas teremos momentos mais abertos em que o sol volta a aparecer", diz Correa.