Novidades surgidas na pandemia: Almanaque Carioquice garimpa programas na região da Barra da Tijuca

O Rio de Janeiro parece uma fonte inesgotável de lugares a serem explorados. Quem ama percorrer a cidade em busca de programação sabe que sempre falta conhecer algum canto — até porque a cidade está em constante renovação. E esta característica pautou a edição 2023 do Almanaque Carioquice, um roteiro de dicas fora do circuito mais badalado para cariocas e turistas. A sexta edição do guia, atualizado anualmente, traz mais de dez opções na Barra e em bairros vizinhos e será lançada na próxima quinta-feira, dia 26, a partir de quando ficará disponível no site carioquice.insightnet.com.br.

'Expodinos': 7 motivos para visitar a mostra com réplicas de dinossauros em tamanho natural e fósseis

Lanche da madrugada: Saiba onde comer após a balada na Barra da Tijuca e em bairros vizinhos

— A ideia do Almanaque Carioquice é contemplar todas as regiões da cidade, abrangendo o maior número de bairros possível. Fazemos uma ampla pesquisa em torno da temática de cada edição. Nesta, celebramos o Rio que, em tempos pandêmicos, ousou se renovar e deu a volta por cima, seja com inaugurações, novos usos ou revitalização de espaços — conta Mônica Sinelli, editora do almanaque. — Concentramo-nos em revelar um Rio diferente, pouco conhecido até mesmo pelos cariocas. E sempre com a preocupação de um alcance plural, inclusivo e de atenção à diversidade e à responsabilidade socioambiental.

De degustações a workshops: Supermercados capricham na programação gastronômica

Museu do Pontal

Uma das seções das 162 páginas do guia, produzido pela agência Insight Comunicação e pelo Instituto Cultural Cravo Albin, destaca locais dedicados à cultura, como o Museu do Pontal. Após anos convivendo com inundações na sede original, no Recreio, a instituição fechou as portas em 2020 e inaugurou um novo espaço em outubro de 2021, para onde foi transferida toda sua coleção de cerca de nove mil obras.

— Essa transferência foi um desafio vencido, o que permitiu salvar o maior acervo de arte popular do país e voltar a oferecer à cidade um espaço dedicado às diversidades culturais brasileiras em seus múltiplos aspectos. Estar no Almanaque é uma grande alegria para nós, porque permite que mais pessoas nos visitem, além de ser um reconhecimento do trabalho que realizamos — pontua Lucas Van de Beuque, diretor-executivo do museu, ao lado de Angela Mascelani. — Nossa proposta é ser como uma praça, promovendo encontros com atividades gratuitas, e um centro cultural, com seis exposições que se renovam ao longo do ano, espetáculos e oficinas.

Em 2022, foram cerca de 150 espetáculos e oficinas. E haverá novidades este ano.

— Nos dias 28 e 29 deste mês, vamos realizar o Carnaval no Museu do Pontal, com participação da bateria da Mocidade Independente de Padre Miguel. Teremos também oficinas, bloco infantil, roda de samba e feijoada. De graça. É só chegar — convida Van de Beuque.

Velódromo

No guia, a Barra é indicada como um dos destinos propícios para os apreciadores de atividades físicas, na seção “Corpo em ação”. Uma das sugestões é o Velódromo do Parque Olímpico, que sediou as provas de ciclismo de velocidade na Rio-2016. Em agosto passado, o espaço retornou à gestão da prefeitura e passou a oferecer, gratuitamente, cerca de 30 modalidades esportivas, como jiu-jítsu, handebol, musculação, hóquei, skate, esgrima, dança de salão, balé, capoeira, atividades circenses, vôlei, corrida, ginástica, funcional para crianças e adultos, futsal, tênis de mesa, caratê, halterofilismo paralímpico e muay thai.

— O Velódromo é um lugar lindo; um legado olímpico de fato. Nossas atividades gratuitas eram na Arena Carioca 3. Como o local vai virar uma escola, ele as absorveu, atendendo mais de dois mil alunos — explica Guilherme Schleder, secretário municipal de Esportes.

A professora de matemática Natalia Pingitore, de 40 anos, faz tecido acrobático e balé no Velódromo. Ela conta que se interessou por atividades físicas quando passou a levar a filha Maria Júlia Pingitore, de 6 anos, ao local.

— A Maria faz tecido acrobático, skate e balé. Vendo minha filha no tecido, eu me encantei e acabei me rendendo também. No fim do ano passado, participamos de uma apresentação de Natal, inspirada no filme “O rei do show”, que envolveu diversas modalidades e alunos, inclusive pessoas com síndrome de Down — relata Natalia, que é moradora de Jacarepaguá. — O Velódromo tem um ambiente muito acolhedor. Criei ótimos vínculos. Já minha filha tem mais disciplina e responsabilidade agora, porque entendeu que precisa ter comprometimento com as aulas.

Um brinde: Restaurantes lançam drinques para a temporada de verão

Ao ar livre

Outro espaço que convida a movimentar o corpo é, claro, a beira-mar. O Almanaque destaca o projeto Praia Para Todos, de recreação para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, que oferece atividades como banho de mar com cadeira anfíbia e vôlei sentado. Na região, o projeto, do Instituto Novo Ser, começou no Posto 3 da Barra, e, em 2022, chegou ao Posto 11, no Recreio. As aulas são para todas as faixas etárias, e acontecem aos sábados e domingo, das 9h às 14h.

O roteiro mostra que a região se distingue ainda por opções de passeios que possibilitam a proximidade com a natureza. No capítulo “Ecotrip”, um dos destaques é o Viveiro Árvores do Amanhã, primeira área urbana do Rio destinada ao cultivo de árvores, criada em 2021. Desenvolvida na Fazendo Modelo, em Guaratiba, fruto de uma parceria entre a Fundação Parques e Jardins e a grife Farm, a cultura deve produzir mais de dez mil unidades por ano, de espécies como pau-brasil, mangueira, ipê, paineira, sibipiruna, ingá, pau-ferro, oiti e palmeira-imperial.

Concebido em dezembro de 2021, o Parque Oceânico, que nasceu após a revitalização de uma área de cerca de 5.500 metros quadrados entre a Rua Coronel Eurico de Sousa Filho e a Avenida Rodolfo de Amoedo, na Barra, incluindo o plantio de 190 mudas de árvores nativas às margens do Canal Marapendi, é outro destino ecológico citado no guia. O projeto abrangeu também a criação do primeiro espaço público para cães na região, com obstáculos distribuídos em uma área de 1.500 metros quadrados e que foi protegida por uma cerca.

— A proposta é que as famílias e visitantes possam usufruir de todos os atrativos do novo parque. A população precisa ter acesso a esse tipo de equipamento público. O Parque Oceânico será um grande espaço de lazer não apenas para os moradores do entorno, mas também para quem vive em outros bairros — aposta Raphael Lima, subprefeito da Barra. — E o parcão promete virar point dos pets da Barra da Tijuca. Os frequentadores do espaço já vêm realizando encontros e atividades com seus animais. Ficamos sabendo de inúmeras festinhas de aniversário, além de festa junina pet e circuitos de adestramento.

A vocação da região para a diversão dos animais de estimação é reforçada pela Padaria Pet, indicada no capítulo “Dê um rolê”. Com unidades inauguradas na Barra em 2021, a loja dispõe de um cardápio de guloseimas para os bichinhos. Brigadeiros, bolos de caneca, sorvetes, pipoca, sucos e cervejinhas estão entre elas. A filial do Parque das Rosas tem ainda salão de festas e serviço de spa. A outra fica no Shopping Metropolitano.

Nos shoppings

O Almanaque também recomenda uma visita ao ParkJacarepaguá, destacando a diversidade de opções no shopping inaugurado em novembro de 2021: ali encontra-se de pista permanente de patinação no gelo, com 600 metros quadrados, a filial do Bar do Zeca Pagodinho, passando por supermercado e seis salas de cinema.

Já o Barra World entrou na lista por ter sediado um torneio de downhill em agosto passado, tornando o Rio a primeira cidade da América Latina a realizar um evento do esporte dentro de um centro comercial. Esta modalidade de mountain bike envolve um trajeto com diversos obstáculos a ser percorrido na maior velocidade e no menor tempo possíveis. Outro motivo foi o fato de o shopping, conhecido pelas réplicas de ícones mundiais como a torres Eiffel e de Pisa, abrigar mais de 60 espetáculos gratuitos por mês.

Gastronomia

A variedade gastronômica da região também está representada. Um dos locais citados é o restaurante Ocyá, especializado em peixes e frutos do mar, inaugurado em janeiro de 2022 na Ilha Primeira. Comandada pelo chef Gerônimo Athuel, a casa tem como destaques o peixe na brasa com arroz de limão cremoso, farofa e fritas; e o arroz de pescador, com camarão, polvo, lula e mexilhão.

Outras opções listadas no guia são a Pastelaria Manancias, na Taquara, famosa pelos pastéis gigantes; e o Quiosque Mirante Rocinha, inaugurado na orla de São Conrado em dezembro de 2021, com pratos como empanada com molho cítrico e lula crocante.

— O Almanaque Carioquice é uma ideia muito vitoriosa para louvar e prestigiar Rio de Janeiro e revelar seus segredos encantadores. Apesar de problemas sérios, como segurança e desigualdade, a cidade resiste. Não há nenhuma outra cidade na América Latina que tenha esse nível de sedução. Essa coisa de uma cidade encravada entre as montanhas e o mar é muito original — derrama-se Ricardo Cravo Albin.

Nas redes sociais, o Almanaque Carioquice tem atualizações diárias sobre programas na cidade. O perfil @almanaquecarioquice pode ser acompanhado no Instagram, no Facebook e no TikTok.