Novo caso de estupro e assassinato de adolescente revolta França

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O segundo caso em poucas semanas de estupro e assassinato de uma adolescente abalou a França no último fim de semana. O episódio, envolvendo uma menina de 14 anos, desta vez se deu em Tonneins, cidade de cerca de 10 mil habitantes no sudoeste do país, entre Toulouse e Bordeaux.

Em meados de outubro, uma jovem de 12 anos foi encontrada morta em um baú de plástico na capital, Paris. Ela tinha sinais de tortura e abuso sexual, e a polícia deteve ao menos quatro suspeitos de envolvimento na morte --a principal delas é uma cidadã argelina de 24 anos com problemas psicológicos.

Em Tonneins, a adolescente identificada apenas pelo primeiro nome, Vanessa, foi sequestrada perto de sua escola na sexta-feira (18). As forças de segurança prenderam no mesmo dia o principal suspeito, apontado como Romain C., 31. Ele está em prisão preventiva e, segundo a agência Reuters, confessou o crime ao ser abordado, dizendo aos agentes que sabia por que estavam atrás dele.

Ele foi detido em Marmande, uma cidade próxima, e foi identificado rapidamente por meio de imagens de câmeras de segurança. Em 2006, quando tinha 15 anos, o suspeito já tinha sido condenado a 15 dias de prisão por agressão sexual a uma menor.

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (21), o prefeito de Tonneins, Dante Rinaudo, informou que a jovem será enterrada na Espanha, onde viveu vários anos com os pais, de origem colombiana. "A família deseja fazer o sepultamento na região de Granada, de onde vieram antes de chegar à França", disse.

Uma marcha em homenagem à vítima será realizada na sexta-feira (25), depois de uma missa. "A população está afetada. Poderia ter sido minha filha, minha irmã. Para nós, é uma menina da cidade."

A presidente da associação de proteção da infância La Mouette, Annie Courgue, relatou que os pais de Vanessa tiveram de ser hospitalizados na noite de sexta-feira, em estado de choque. A entidade pediu à sua vice-presidente, a senadora de direita Christine Bonfanti-Dossat, que interpele o governo para tornar câmeras de vigilância obrigatórias na entrada de instituições de ensino.

Na frente dos portões da escola de ensino médio Germillac, onde a jovem estudava, foram depositadas dezenas de flores e de mensagens de apoio. La Mouette também pede medidas judiciais que possam diminuir o risco de reincidência em casos do tipo, evocando o passado do suspeito.

Após a prisão, Romain C., que se tornou pai recentemente, disse que passou a manhã de sexta em seu carro, fumando maconha. Ao ver Vanessa, obrigou-a a "entrar à força" em seu veículo, deixando o local rapidamente. Depois, estuprou e estrangulou a adolescente, segundo informou a Promotoria neste domingo (20). O corpo sem vida da jovem foi encontrado em uma casa abandonada ao norte de Tonneins.

A tragédia fez lembrar o brutal assassinato, em Paris, de uma menina de 12 anos identificada como Lola, também pelo uso político por parte das forças de direita. Desde a morte, a oposição a Emmanuel Macron vem citando a origem argelina e a situação irregular da suspeita para pedir mais controle migratório no país e leis mais duras no combate ao crime.

Neste domingo, relatório divulgado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) apontou que, na França, uma criança é morta por um de seus pais a cada cinco dias, em média. À RFI, a presidente do comitê francês da agência, Adeline Hazan, afirmou que essas tragédias ocorrem devido à falta de prevenção e de detecção de situações de risco envolvendo menores.