Secretário de Saúde do DF é preso em operação contra fraudes em compra de testes para Covid-19

·2 minuto de leitura
Francisco Aráujo, secretário de Saúde do DF, é preso - Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília
Francisco Aráujo, secretário de Saúde do DF, é preso - Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Francisco Araújo, secretário de saúde do Distrito Federal, foi preso preventivamente na manhã desta terça-feira (25), em uma operação que apura supostas irregularidades na compra de testes para detecção do novo coronavírus. As informações são do G1.

Araújo foi alvo da segunda fase da operação Falso Negativo, deflagrada pelo Ministério Público do DF. Foram expedidos 44 mandados de busca e apreensão e sete de prisão. De acordo com a investigação, os prejuízos aos cofres públicos chegam a R$ 18 milhões.

Leia também:

Além de Araújo, também foram presos Ricardo Tavares Mendes (ex-secretário adjunto de Assistência à Saúde), Eduardo Hage Carmo (subsecretário de Vigilância à Saúde), Eduardo Seara Machado (secretário adjunto de Gestão em Saúde) e Ramon Santana Lopes (assessor especial da Secretaria de Saúde).

Ordens judiciais estão sendo cumpridas em oito estados e no DF, onde atuam as empresas fornecedoras dos testes. De acordo com o G1, a primeira fase da operação foi deflagrada no início de junho e foram cumpridos 74 mandados de busca e apreensão em mais de 20 cidades pelo país.

De acordo com o Ministério Público do DF, a operação tem como objetivo desmontar uma suposta organização criminosa construída dentro da Secretaria de Saúde da capital federal para escolher fornecedores de forma ilegal e superfaturar compra de testes.

Segundo o G1, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Procuradoria-Geral de Justiça do MPDFT comandaram as apurações e detectaram suspeita de superfaturamento nas compras e de baixa qualidade dos testes, que podem dar falso resultado negativo com mais frequência.