Estudo identifica infecção pelo novo coronavírus no Espírito Santo antes do primeiro caso na China

·1 minuto de leitura
Foto: AP Photo/Carla Carniel
Foto: AP Photo/Carla Carniel

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Espírito Santo realizou um estudo que revelou a existência de um possível caso de Covid-19 no estado já no final de 2019, portanto, antes de ter sido oficialmente anunciada pelo governo da China, em 31 de dezembro de 2019.

De acordo com Nésio Fernandes, secretário estadual de Saúde, o estudo foi realizado com mais de 7.300 amostras de soro do Laboratório Central (Lacen) que haviam sido coletadas entre os dias 1º de dezembro de 2019 e 30 de junho de 2020 de pessoas que manifestaram sintomas suspeitos de dengue e de chikungunya.

Leia também

Por uma decisão do governo estadual, todas essas amostras também foram testadas para a detecção do novo coronavírus. Antes do resultado do estudo, o primeiro caso oficial de Covid-19 no Espírito Santos datava de 5 de março de 2020.

A amostra que apresentou resultado positivo para a doença de forma surpreendente é do dia 18 de dezembro de 2018. A análise é feita por identificação dos chamados “anticorpos igg", que só aparecem dias após a pessoa ter sido infectada, o que indica que o novo coronavírus já estivesse no corpo da paciente antes do dia 18. Não foi relevada a cidade em que a amostra foi coletava por se tratar de um dado sigiloso de pesquisa.

O estudo ainda apontou que uma pessoa pode esta infectada pelo novo coronavírus ao mesmo tempo em que apresenta dengue ou chikungunya.

O caso “pioneiro” foi exatamente um desses. O positivo para Covid-19 do dia 18 de dezembro também apresentou anticorpos para a chikungunya.