Novo envio de ajuda humanitária chega à Venezuela em 8 de maio, diz Cruz Vermelha

Pessoas na fila para receber auxílio da Cruz Vermelha em Caracas, Venezuela, em 16 de abril de 2019

Uma segunda remessa de ajuda humanitária da Cruz Vermelha chegará à Venezuela em 8 de maio, anunciou a agência nesta quarta-feira (17), reiterando seu pedido de não "politizar" a assistência.

"Há uma remessa que vem por via marítima que estimamos que em 8 de maio estará no país", informou o comissário da Cruz Vermelha para esta operação na Venezuela, Hernán Bongioanni, durante a entrega de material cirúrgico, analgésicos e antibióticos no hospital da instituição em Caracas.

Um primeiro carregamento chegou nesta terça-feira ao aeroporto internacional de Maiquetía, que atende à capital venezuelana.

Bongioanni disse que este lote inicial de material cirúrgico será usado para atender cerca de 10.000 pessoas em uma primeira fase que pretende beneficiar 650.000 venezuelanos.

O diretor de saúde da Cruz Vermelha venezuelana, Carlos Ruiz, explicou que, a princípio, o apoio será fornecido a 12 hospitais públicos.

Ruiz explicou que em breve os medicamentos serão doados para doenças crônicas, em carências severas, para as quais foram iniciados contatos com a união farmacêutica para estabelecer prioridades. "Esses medicamentos chegarão pouco a pouco", disse ele.

Durante o segundo dia de distribuição, o presidente da Cruz Vermelha local, Mario Villarroel, reiterou seu pedido pela não politização do apoio em meio à disputa entre o governo de Nicolás Maduro e o líder opositor Juan Guaidó.

"Toda vez que de alguma maneira se tenta politizar essa ajuda, o trabalho que estamos fazendo é prejudicado (...), por favor, deixe a Cruz Vermelha trabalhar", insistiu Villarroel.

Embora a Cruz Vermelha tenha se declarado disposta a trabalhar com essas doações se cumprirem os padrões internacionais, Bongioanni destacou que os carregamentos que começaram a ser distribuídos nesta terça-feira são independentes.

"É um projeto da Cruz Vermelha, canalizado pela Cruz Vermelha e guiado e dirigido pela Cruz Vermelha, sempre sob os princípios do movimento: imparcialidade, neutralidade e independência", argumentou.