Novo laudo confirma que menino do Habib's teve infarto após uso de droga

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Novos exames realizados no corpo do adolescente João Victor Souza de Carvalho, 13, morto após uma confusão em uma loja do Habib's, confirmaram que ele morreu em decorrência de uma falha cardíaca após ter consumido drogas. O segundo laudo foi feito depois da exumação do corpo e confirmou resultado anterior.

A SSP (Secretaria de Segurança Pública) afirmou na noite desta quarta-feira (12), por meio de nota, que não foram encontradas lesões traumáticas, inclusive através de exames de tomografia computadorizada, como responsáveis pela morte, o que contraria a versão da família, de que João Victor foi agredido por dois seguranças da lanchonete.

"Os exames histológicos realizados no coração de João Vitor evidenciaram, novamente, lesões crônicas e extensas causadas por uso de drogas, a saber, cocaína e tricloroetileno, compatíveis com coração de indivíduo idoso, de cerca de 90 anos de idade, apesar de o jovem ter apenas 13 anos", afirma.

João Vitor morreu no dia 26 de fevereiro após uma confusão em uma lanchonete Habib's da Vila Nova Cachoeirinha (zona norte). O boletim de ocorrência, registrado no 13º DP (Casa Verde), afirmava que o adolescente pedia comida na lanchonete e que, em determinado momento, apresentou "comportamento alterado".

Testemunhas disseram que ele ameaçava bater com madeira em carros de clientes, foi repreendido por funcionários e desmaiou. Socorrido, João Victor morreu antes de chegar ao hospital. O laudo do serviço funerário exibido pela família apontava a causa da morte como "infarto do miocárdio".

Um vídeo divulgado pela TV Band dias depois mostra o menino segurando um pedaço de pau. Ele atravessa a rua correndo, seguido por dois homens, que retornam depois arrastando o menino e o jogando contra o chão. Ele aparenta estar desacordado e não demonstra reação.

Uma testemunha chegou a dizer à polícia que viu o adolescente ser agredido por "um homem forte, gordo, moreno com uniforme do Habib's" e desmaiar em seguida. Segundo o relato, o homem segurou o garoto pela gola da camisa e deu um soco na cabeça dele.

Ela também contou que presenciou um outro funcionário do Habib's "alto e magro" puxar o adolescente pelos braços junto com o primeiro agressor e, juntos, seguiram de volta para o Habib's. O menino desmaiou durante o trajeto e, segundo ela, espumava pela boca.

O Habib's disse na ocasião que a rede apura os fatos da "lamentável ocorrência". Disse que a PM foi acionada após a conduta "incontrolável" de João Victor e que o resgate foi chamado. Também disse que coopera com as investigações.