Novo método aprimora o monitoramento de pequenos objetos próximos a Terra

·2 min de leitura

Com o objetivo de melhorar a qualidade da astrometria — ramo da astronomia que mede a posição e movimento de corpos celestes —, a partir de imagem obtidas por telescópios terrestres, pesquisadores do Observatório Astronômico Yunnan propuseram um novo método para monitorar pequenos objetos próximos à Terra. Segundo eles, a combinação de imagens garante uma maior precisão nas observações.

A astrometria é uma importante técnica para monitorar a posição de objetos celestes, bem como para traçar suas eventuais órbitas. Quando se trata de pequenos objetos próximos ao nosso planeta, ela permite o acompanhamento desses objetos para, se for o caso, emitir avisos sobre possíveis ameaças de impacto.

Estimativa da população de objetos próximos à Terra a partir de seus tamanhos variados (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)
Estimativa da população de objetos próximos à Terra a partir de seus tamanhos variados (Imagem: Reprodução/NASA/JPL-Caltech)

O pesquisador do Observatório Astronômico Yunnan, Wang Jiancheng, explicou que a China tem trabalhado continuamente para desenvolver um sistema de defesa contra possíveis colisões. O conjunto de observações destes corpos, obtidas a longo prazo, ajudam a determinar seus movimentos e, assim, permite que a humanidade prepare uma resposta em tempo hábil, caso algum objeto espacial venha em direção a Terra.

Astrometria aprimorada

Jiancheng e Zhang Yigong, estudante de doutorado do Grupo de Pesquisa de Técnicas Astrométricas e Aplicações do observatório, apresentaram o novo método. Basicamente, eles usam um conjunto de imagens sobrepostas, tendo as imagens originais — as quais contêm os astros de fundo — como uma referência para determinar os movimentos dos objetos.

À esquerda, a imagem original e, à direita, a sobreposta onde os círculos verdes indicam um menor ruído das estrelas em comparação às marcadas pelos círculos amarelos (Imagem: Reprodução/Yigong Zhang et al.)
À esquerda, a imagem original e, à direita, a sobreposta onde os círculos verdes indicam um menor ruído das estrelas em comparação às marcadas pelos círculos amarelos (Imagem: Reprodução/Yigong Zhang et al.)

Para o estudo, eles utilizaram dados astrométricos das imagens obtidas pelo telescópio de 1 metro de diâmetro do Observatório Yunnan. Os resultados revelam que o método pode melhorar de maneira significativa a precisão das observações e medições de pequenos objetos próximos à Terra.

Além disso, Jiancheng e Yigong apresentaram um método mais específico, o qual estabelece um modelo de estimativa do limite observável da magnitude de um objeto móvel e uma estratégia de observação para os corpos em movimento.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos