Novo ministro da Saúde conclama por 'união da nação' e diz que sozinho não fará mágica

Renata Mariz e Paula Ferreira
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Em seu primeiro pronunciamento, o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pediu nesta terça-feira uma "união da nação" contra a Covid-19, disse que quer trabalhar "em parceria" com secretários estaduais e municipais, ressaltou que sozinho não vai "fazer nenhuma mágica" e destacou medidas como uso de máscara e higiene das mãos para "preservação da economia".

— Fui convocado pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir o Ministério da Saúde do Brasil. Sei a responsabilidade que tenho. Sei que sozinho não vou fazer nenhuma mágica e não vou resolver os problemas da saúde pública que temos. Mas tenho certeza que teremos ajuda dos brasileiros — disse

Em seguida, ressaltou que trabalhará com gestores locais:

— Agora temos que unir esforços com os secretários municipais de Saúde, o Brasil tem mais de 5.570 municípios, os secretários estaduais, os órgãos representativos como Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde) e Conasems (Conselho Nacional de Secretrias Municipais de Saúde).