Rolling Stones lamentam morte de Chuck Berry, "pioneiro do rock"

Londres, 19 mar (EFE).- Os Rolling Stones lamentaram neste domingo a morte do "pioneiro do rock" Chuck Berry, que morreu ontem à noite aos 90 anos em sua casa do estado do Missouri,nos Estados Unidos, e lembraram sua "enorme influência" na música e no próprio grupo.

"Chuck Berry não foi só um brilhante guitarrista, cantor e artista, mas, sobretudo, foi um mestre artesão da criação de canções", afirmou a banda britânica em sua conta no Twitter.

Os Stones, que se declararam "profundamente tristes" pela morte do autor de "Jonny B. Goode", acrescentaram que "suas músicas viverão para sempre".

O líder da banda, Mick Jagger, se mostrou agradecido "por toda a música inspiradora" deixada por Berry, que em outubro do ano passado tinha anunciado o lançamento de seu primeiro disco novo em 38 anos.

"Iluminou meus anos adolescentes e insuflou vida a nossos sonhos de ser músicos e artistas", comentou Jagger, para quem "suas letras brilhavam acima das demais e lançavam uma luz estranha sobre o sonho americano".

"Chuck, você era incrível e sua música nos marcou interiormente para sempre", completou o cantor.

Por sua vez, Keith Richards, guitarrista dos Stones, lamentou que uma de suas "grandes luzes se foi", enquanto seu companheiro de grupo, Ronnie Wood, afirmou que a morte de Berry marca "o fim de uma era".

Quem também prestou homenagem ao músico americano foi o ex-Beatle Ringo Starr. "Estou tocando e estou falando contigo. Deus abençoe Chuck Berry", declarou. EFE