Docente de química chinês que fabricava drogas é condenado à prisão perpétua

Pequim, 14 abr (EFE).- Um professor de química da China detido em 2015 por fabricar drogas e apelidado pela imprensa local "Walter White chinês", pela similaridade com o protagonista da série televisiva "Breaking Bad", foi condenado à prisão perpétua por narcotráfico, informa nesta sexta-feira a agência oficial Xinhua.

A sentença foi ditada na quinta-feira - embora só tenha sido revelada hoje - pelo Tribunal Popular Intermediário de Wuhan (centro do país), que determinou que o professor, de sobrenome Zhang, tinha construído um negócio ilegal de produção de drogas e vendia esta ao estrangeiro, o que gerava 4 milhões de iuanes anuais (US$ 582 mil).

No mesmo julgamento também foi ditada uma sentença contra o ajudante do professor, de sobrenome Yang, que foi condenado à morte, mas com uma suspensão de dois anos, pelo qual na prática será comutada a prisão perpétua se o réu mostrar boa conduta.

Zhang e Yang começaram em 2005 a fabricar em laboratório vários produtos químicos com fins comerciais, entre eles metilona.

O professor de química decidiu iniciar esse negócio ao saber que havia grande demanda deste tipo de produto no exterior, enquanto que na China não havia regulamentos muito restritos contra ele.

Quando essa substância alucinógena foi proibida em 2014, os dois parceiros tentaram sem sucesso buscar um substituto legal, e finalmente as alfândegas de Wuhan encontraram envios suspeitos ao exterior feitos por eles, pelos quais pouco depois foram detidos.

Zhang e Yang tinham construído uma rede muito complexa na qual usavam múltiplos pseudônimos para o envio de seus pacotes ao exterior e admitiam o pagamento com moedas virtuais tais como bitcoin.

Após a detenção, muitos chineses compararam o caso com a ficção representada na popular série americana "Breaking Bad", também muito popular entre os espectadores do país asiático. EFE