Novo Rei Momo do Rio, Djeferson Mendes da Silva abre o carnaval com a chave da cidade

Camilla Pontes
1 / 2

WhatsApp Image 2020-01-12 at 18.24.39.jpeg

Corte do Carnaval foi escolhida neste domingo na Praia de Copacabana

O carnaval carioca está oficialmente aberto. O novo Rei Momo, Djeferson Mendes da Silva recebeu a chave da cidade das mãos do presidente da Riotur, Marcelo Alves, e de Maurício Firmino, um dos filhos do Candonga, figura importante do carnaval do Rio que por mais de 30 anos foi o guardião da chave. Como já era esperado, o prefeito Marcelo Crivella não compareceu ao evento.

Djeferson Mendes da Silva é artista circense, morador da Praça Onze e integrante escola de samba Estácio de Sá. Esta foi a primeira vez que ele se candidatou ao posto de Rei Momo.

— Estou muito feliz. Vou honrar da melhor maneira possível todo mundo que já passou por esse titulo, e claro, honrar a cidade e o carnaval.

A nova Rainha do Carnaval é a paulista Camila Aparecida da Silva, 33 anos, dançarina e atriz e integrante da escola de samba Paraíso do Tuiuti. Camila já foi rainha da bateria por 10 anos da Vai-Vai e também já ficou à frente da bateria da escola Mocidade Independente de Padre Miguel. Também foi a primeira vez que a paulista se candidatou ao posto de rainha e já saiu campeã.

— Sou muito grata a todas as pessoas, não só do Rio, como as de São Paulo porque eu tive uma história lá também. Pretendo representar a todas as meninas de comunidade, que assim como eu, olharam para o palco e sonharam um dia ser princesa ou rainha e participar da corte - comentou Camila.

Completando a Corte do Carnaval, foram eleitos como vice-Rei, Alex Vieira Silva; primeira princesa, Deisiane Conceição de Jesus; e segunda princesa, Cintia Aparecida Martins de Oliveira.

Esta é a primeira vez que a abertura oficial do Carnaval ocorre em Copacabana. Antes a premiação do Rei Momo e Rainha do Carnaval era feita no sambódromo, no Centro da cidade. A Riotur e a Prefeitura do Rio decidiram aproveitar a estrutura do palco montado para o reveillón de Copacabana, que além de ser uma forma de economizar recursos, mais pessoas podem participar do evento, foi o que explicou o presidente da Riotur, Marcelo Alves.

— Sempre foi feito em um local fechado e hoje nós vamos ter milhares de pessoas que vão poder vivenciar esse momento emblemático do carnaval.

Alves também disse que a expectativa é quebrar recordes de público e de empregos gerados.

-- É o que a gente quer é o ano inteiro. Esperamos uma arrecadação recorde, e também empregos gerados, que são mais de 100 mil. Milhares de pessoas que vem do Brasil e do mundo para cá e esperam ter em retorno em alegria. Sem dúvida, o que a gente quer, além disso tudo, é recorde de alegria.