Novo secretário de Estado dos EUA defende cooperação com China, apesar de genocídio dos uigures

Humeyra Pamuk e David Brunnstrom
·1 minuto de leitura
Novo secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken

Por Humeyra Pamuk e David Brunnstrom

WASHINGTON (Reuters) - O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, disse nesta quarta-feira, seu primeiro dia completo no cargo, que é favorável à cooperação com a China sobre mudança climática e outras questões de interesse comum, mesmo tendo reiterado que foi cometido genocídio contra muçulmanos uigures na região de Xinjiang.

A relação EUA-China é "provavelmente a relação mais importante que temos no mundo", afirmou ele a repórteres.

“Cada vez mais, essa relação tem alguns aspectos antagônicos. Tem aspectos competitivos. E ainda tem aspectos cooperativos”, disse ele, acrescentando que combater as mudanças climáticas é do interesse dos dois países.

"Acredito, e espero, que possamos buscar isso, mas isso se encaixa no contexto mais amplo de nossa política externa e de muitas questões de preocupação que temos com a China; questões que precisamos trabalhar."

Blinken foi questionado sobre como seria possível cooperar com a China depois que seu antecessor, o ex-secretário de Estado Mike Pompeo, disse na semana passada que a China cometeu genocídio contra muçulmanos em Xinjiang. Blinken endossou essa determinação em sua audiência de confirmação na semana passada.

"Meu julgamento continua sendo que genocídio foi cometido contra os uigures e isso não mudou", disse Blinken na quarta-feira.

(Reportagem de Humeyra Pamuk, Simon Lewis, David Brunnstrom, Jonathan Landay e Doina Chiacu)