Nubank: conheça algumas polêmicas da fintech mais popular do país

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
A trajetória do Nubank passa por algumas polêmicas.
A trajetória do Nubank passa por algumas polêmicas. (Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

A trajetória do banco digital que inovou até na identidade visual, oferecendo um cartão roxo para os seus clientes, começa em 2013. O colombiano David Velez vivia em São Paulo quando se juntou à brasileira Cristina Junqueira e ao americano Edward Wible para criar a fintech.

Após cursar engenharia na Universidade de Stanford e conseguir um emprego na gestora General Atlantic, Vélez foi enviado para trabalhar no escritório da empresa americana localizado na capital paulista. A decisão de fundar o NuBank junto aos seus sócios surgiu com a percepção de que muitos brasileiros reclamavam da burocracia dos bancos no país, dos juros altos, das filas nas agências bancárias, entre outros problemas.

Com uma proposta de ser a melhor experiência bancária para os usuários, o NuBank surge com uma estratégia de comunicação focada no fato da fintech ser 100% digital, oferecendo juros bem abaixo do que os praticados pelos bancos concorrentes, além de todos os serviços oferecidos serem gratuitos, desde abertura de conta até cartão de crédito sem anuidade.

Com todo esse modelo disruptivo, logo a empresa se tornou um fenômeno e passou a ser a instituição financeira mais valiosa da América Latina, posto que perdeu recentemente após suas ações operarem em forte queda na bolsa de Nova York. Atualmente, o “roxinho” tem capitalização de mercado de US$ 17,34 bilhões, ou R$ 82,8 bilhões na cotação atual.

Veja a seguir algumas polêmicas envolvendo o NuBank:

  1. Fala controversa da cofundadora Cristina Junqueira

  2. Cantora Anitta no conselho administrativo da fintech

  3. A questão da segurança digital

  4. NuBank usa conta do Itaú para pagar seus próprios funcionários

Fala controversa da cofundadora Cristina Junqueira

Em outubro de 2020, a cofundadora do Nubank Cristina Junqueira fez uma declaração no programa Roda Viva da TV Cultura gerou polêmica. Na ocasião, Junqueira disse que a instituição tem dificuldades de contratar profissionais negros para cargos de alto liderança por estes terem menos qualificações técnicas necessárias. Quando questionada sobre os critérios de contratação serem uma barreira, respondeu que o NuBank “não poderia nivelar por baixo”.

A declaração se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter à época e após forte repercussão, a empreendedora publicou um vídeo em seu perfil no Linkedin onde dizia não ter se expressado da melhor maneira. Além do vídeo, o banco digital divulgou o investimento de R$ 20 milhões em ações para promover a diversidade racial, incluindo a revisão completa dos processos de recrutamento.

Cantora Anitta no conselho administrativo da fintech

Quando o NuBank anunciou no ano passado a Anitta no Conselho de Administração da empresa, o assunto ficou entre os Trending Topics do Twitter. Muitos foram pegos de surpresa, e enquanto os fãs da cantora comemoravam, alguns apoiadores do governo Bolsonaro começaram a circular memes pejorativos sobre o conhecimento da Anitta sobre economia e assuntos correlatos. Isso ocorreu porque a artista estava fazendo duras críticas à gestão bolsonarista durante a pandemia.

Para os fundadores da fintech, a decisão de convidar a cantora que é também empresária foi acertada, uma vez que Anitta demonstrou profundo conhecimento de marketing e estratégia ao alavancar sua carreira não só no Brasil, mas também globalmente.

A questão da segurança digital

Outra polêmica vivida de tempos em tempos pelo NuBank é sobre a segurança digital do aplicativo onde os usuários realizam todas as transações financeiras. Em 2020, durante o período do recebimento do Auxílio Emergencial, alguns clientes relataram que o dinheiro transferido para a NuConta havia sumido. O barulho foi tanto que hashtag #nubankdevolvemeudinheiro ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. Além disso, outros casos já foram relatados como cobranças de compras indevidas na fatura do cartão e exposição de dados como o CPF e informações bancárias no Google.

NuBank usa conta do Itaú para pagar seus próprios funcionários

Outro caso curioso é o fato do Nubank pagar os seus funcionários pelo concorrente Itaú. O motivo: a instituição financeira não oferece conta salário para a folha de pagamento. Funcionários da fintech afirmaram que é possível solicitar a portabilidade salarial para o banco digital.

Questionados a respeito do caso, o NuBank enviou o seguinte comunicado, sem explicar oficialmente o motivo do pagamento em um banco diferente.

“Com a portabilidade salarial, os funcionários do Nubank podem usufruir de todos os benefícios de nossos serviços. Nosso foco é desenvolver produtos que sejam direcionados para os clientes”. A reportagem feita pelo portal Tecnoblog concluiu, portanto, que a NuConta não é uma conta salário, nem corrente e nem poupança, mas sim uma conta de pagamento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos