Nudes, currículos e meme: laboratório de saúde do Rio identifica documentos indevidos para comprovar vacinação em eventos-testes

·4 min de leitura

RIO — Nudes, meme do "Negão do zap", currículo e até comprovante vacinal feito pelo Microsoft Word são só alguns dos aproximados 2.400 documentos inusitados anexados no tópico "Comprovante de vacinação" do sistema laboratorial da Veus Saúde, uma das empresas credenciadas por alguns eventos-testes do Rio para checar a documentação de saúde do público que deseja ir aos eventos autorizados.

A apresentação do comprovante de vacinação faz parte de uma lista de determinações do decreto municipal que autoriza a entrada do público nos eventos-testes. A documentação serve para auxiliar no monitoramento de contágio dos participantes após 14 dias. Esta manhã, caiu a obrigatoriedade da apresentação do teste de antígeno e do comprovante de vacinação juntos, desde que o participante apresente o esquema vacinal completo.

O método de fiscalização funciona da seguinte forma: a equipe da Veus é responsável por avaliar os testes de antígeno cadastrados no sistema da empresa pelo próprio laboratório ou pela rede credenciada, e pela checagem da carteira digital de vacinação do ConecteSUS anexada pelos próprios compradores dos ingressos dos eventos. A autorização só acontece se o documento estiver de acordo com o calendário vacinal do município.

Segundo a Veus Saúde, a empresa foi responsável pela organização de 12 eventos-testes até esta quinta-feira, e prevê a participação na checagem de mais 30 eventos até o final do ano.

Do número de eventos realizados, o laboratório afirma que já avaliou mais de 60 mil carteiras de vacinação anexadas no sistema. Do total, 85% foram avaliados pelo próprio sistema da empresa, o que representa que estão em acordo com o solicitado, e outros 15% foram para a checagem manual, composta pela avaliação de cinco funcionários, que acontece quando o sistema aponta alguma irregularidade no formato ou no conteúdo do documento e vai para a análise.

De acordo com a empresa, 4% dos 60 mil documentos anexados e avaliados no tópico "Comprovante de vacinação" do sistema correspondem a documentos indevidos, como nudes, meme do "Negão do zap", currículo, comprovante vacinal feito pelo Microsoft Word, foto de paisagem, do braço vacinado, de boletim escolar do filho e da carteira de motorista. Todos os donos desses documentos tiveram sua participação negada.

Pela avaliação do diretor de Maketing da Veus Saúde, Ibrahin Salim, a tentativa de burlar o sistema pode estar relacionado a descrença no sistema:

— Acreditamos que há uma dúvida se a empresa vai ou não conseguir checar dado por dado de cada participante, já que são eventos com um número muito grande de público, e, por isso, resolvem colocar qualquer coisa achando que vão passar.

Ibrahin conta que, depois de notar o alto índice de documentações impróprias, a equipe precisou aumentar o atendimento virtual. Como são testes que precisam ser autorizados em 48 horas, muitos dos participantes cobram agilidade da empresa para receber a confirmação:

— Nós aumentamos a equipe que atende demandas virtuais. Precisamos de um tempo maior para avaliar esses casos. Em casos confirmados de trapaças, respondemos que a entrada não foi autorizada pela documentação indevida.

Número maior de casos em jogos de futebol

O diretor de Marketing do laboratório diz que, no ínicio da checagem e dos eventos, o número de tentativas para burlar o sistema eram maiores. Mas nem por isso deixaram de existir até hoje.

A maior quantidade de casos continua sendo em partidas de futebol, até pela quantidade desses eventos atendidos pela Veus, que são maiores que as festas. Mas elas também não saíram da mira dos laboratórios.

Segundo Ibrahin, casos como esses também apareceram nos primeiros dias do evento "Rock Brasil 40 anos", do Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), festival organizado para acontecer na praça da Pira, no Centro. O evento teve sua primeira fase no dia 09 e 10 deste mês e continuará durante todo o mês de outubro, até o dia 31.

— Todos os eventos que atendemos até hoje tiveram casos, em maior ou menor número. Nenhum deles escapou.

Veja quais eventos-testes apresentaram problemas na comprovação

- Jogo do Flamengo X Grêmio - 15 de setembro

- Jogo do Flamengo X Barcelona - 22 de setembro

- Jogo do Botafogo x Sampaio Correia - 22 de setembro

- Jogo do Botafogo x Avaí - 02 de outubro

- Jogo do Flamengo X Athlético Paranaense - 03 de outubro

- Jogo do Fluminense x Fortaleza - 06 de outubro

- Jogo do Botafogo x CRB - 08 de outubro

- Jogo do Fluminense x Atletico GO - 09 de outubro

- Festival Rock Brasil 40 anos - 09 de outubro a 17 de outubro

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos