Startup brasileira oferece "serviço de bordo" em carros de aplicativos

Foto: Getty

Por Mariana Lima

Empresas de transporte compartilhados que atuam no Brasil, como Uber e 99, ficaram conhecidas pelas tradicionais balinhas e garrafinhas de água dentro dos carros. Os brindes ajudaram a impulsionar a imagem de bom atendimento dos motoristas durante o serviço. Agora, uma startup de São Paulo está oferecendo “serviço de bordo” completo para aumentar ainda mais a comodidade durante a viagem.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

A Numenu surgiu em 2017 como uma forma de ajudar os motoristas de aplicativos a ganharem mais dinheiro e perderem menos tempo transformado os veículos em versões compactas de lojas de conveniência.

Leia também

A ideia surgiu de Rafael Freitas, que à época estudava sobre o mercado automobilístico. Depois de observar o crescimento do número de viagens feitas por meio de aplicativos, ele percebeu como isso poderia dificultar a parada em lojas de conveniência. Foi então que decidiu criar um kit com produtos que consideram indispensáveis e que normalmente são comprados por impulso.

“No nosso modelo, tanto o motorista quanto as marcas ganham. Como é uma fonte de renda extra, os motoristas acabam falando sobre o nosso serviço com os colegas, aumentando naturalmente nossa base de clientes”, diz Freitas.

Para adquirir um kit, o motorista precisa ir até um dos quatro centros de distribuição localizados pela cidade de São Paulo e desembolsar R$ 50. Na caixa há produtos como carregador de celular, maquiagem, creme dental, preservativos e, é claro, balas.

É preciso ainda fazer um cadastro na startup, gerar um código e baixar um aplicativo. O valor pago inicialmente garante “refil” dos produtos sem que o motorista precise pagar de novo por eles.

Os produtos são expostos dentro do carro. Durante a corrida, o passageiro interessado precisa abrir o site da Numenu no navegador do celular, digitar o código do motorista e verificar quais produtos estão disponíveis naquele veículo no momento. O pagamento é feito pela internet e, quando a compra é realizada, os produtos são descontados do estoque do kit automaticamente.

A Numenu garante que o motorista recebe 25% do valor de cada produto comprado. Já o restante vai para a fabricante parceira da startup. “O motorista consegue acompanhar tudo pelo celular e nós conseguimos monitorar as vendas sem estar perto deles”, diz o executivo.

Para continuar crescendo, a startup aposta em outra fonte de renda: os dados dos usuários. Por meio de parcerias, os motoristas recebem brindes ou produtos novos para serem distribuídos gratuitamente durante a viagem. A forma de adquirir os brindes é semelhante: é necessário abrir o site da empresa, digitar o código do motorista e pedir o produto gratuito.

Depois, a startup solicita que o passageiro responda a algumas perguntas, que podem ajudar a fabricante a entender a aceitação do produto. Nesse caso, o motorista ganha R$ 1 por brinde distribuído.

“Quando uma companhia distribui um novo chiclete na avenida Paulista, por exemplo, não consegue mensurar depois se os usuários gostaram ou não do sabor. Nós temos essa informação para compartilhar com eles”, conta Freitas ao garantir que os dados são repassados sem identificar os usuários.

Por enquanto a startup só funciona na Grande São Paulo. A expectativa é crescer na região antes de ir para outros estados. Nos últimos meses, a empresa começou a oferecer o kit também para outros profissionais como manicures e tatuadores. Agora quer fechar parcerias com lojas de conveniência físicas e outras fabricantes para a agilizar a retirada de novos produtos.

“Temos demandas de centenas de motoristas em várias regiões do Brasil, mas decidimos crescer bem e sólido antes de expandir. Vamos testar novas coisas”, completa.