Número de candidatos presos chega a 55 até às 17h30, segundo o TSE

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
A policeman looks at money seized from a person suspected to be bribing voters in Igarape Miri, Para state, Brazil on November 15, 2020, during the first round of municipal elections amid the new coronavirus pandemic. - Brazilians voted Sunday in municipal elections that will test the strength of the country's rightward shift under President Jair Bolsonaro, with the coronavirus pandemic looming large -- and likely denting turnout. (Photo by TARSO SARRAF / AFP) (Photo by TARSO SARRAF/AFP via Getty Images)
Policial observa dinheiro apreendido de pessoa suspeita de estar comprando votos em Igarapé Miri, no Pará. (Foto: TARSO SARRAF / AFP via Getty Images)

Até às 17h30 deste domingo (15), dia do primeiro turno das eleições municipais, 55 candidatos foram presos em 14 estados, segundo o balanço divulgado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Outros 37 concorrentes a algum cargo eletivo tiveram ocorrências registradas, mas não chegaram a ser detidos.

O crime mais comum é a boca de urna, que levou 31 candidatos a serem presos. Outro problema comum e que levou a prisão de 11 candidatos foi a divulgação de propaganda de forma indevida.

A maior parte das ocorrências aconteceram em Minas Gerais - 13 prisões; seguido por Paraná, com 10 detenções, e Sergipe, com 9 prisões.

Entre os não candidatos, foram 139 prisões. Assim como entre os candidatos, a boca de urna foi o problema mais comum, com 184 ocorrências pelo país.

O TSE ainda divulgou que, entre mais de 400 mil urnas, 3.381 tiveram de ser trocadas. O número representa 0,75% dos aparelhos utilizados durante o dia de votação.

Leia também

Eleições municipais em todo país

As Eleições 2020 movem praticamente todo país neste domingo. Por conta do coronavírus, essa tem sido uma eleição diferente, com horários estendidos e mais critérios de segurança sanitária.

Uma questão que levanta muitas dúvidas ao longo processo é o famoso coeficiente eleitoral. Bem resumidamente, é a divisão do número de eleitores pelo número de vagas (nós explicamos com detalhes AQUI). Cada cidade, então, tem seu coeficiente eleitoral.

Se você ainda não votou, leve de preferencialmente uma caneta própria para assinar o caderno dos mesários. E não se esqueça de conferir quais são os documentos necessários para votar. Por conta da pandemia, as urnas estão abertas das 7h às 17h (horários de Brasília).

Caso não esteja presente na cidade onde você está apto para votar, é possível justificar seu voto. Para saber como, siga nosso guia clicando AQUI. O segundo turno ocorrerá em dois domingos, no dia 29 de novembro de 2020.

O que faz um prefeito?

O Estado se divide em três poderes o Executivo, Legislativo e Judiciário, e o prefeito é o chefe do Poder Executivo. Ou seja, é responsabilidade do prefeito administrar a cidade que exerce suas funções. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um prefeito, CLIQUE AQUI.

O que faz um vereador?

Eleito por votos da população, o vereador que é um agente político, trabalha no Poder Legislativo da esfera municipal da federação brasileira. Lembrando que o Brasil é dividido em três grupos de poder: União, Estados e Municípios. Pode-se dizer que o vereador exerce um papel similar ao dos deputados e senadores fazem nas esferas Estados e União. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um vereador, CLIQUE AQUI.