'Nunca duvidei da segurança das urnas', disse Simone Tebet no Roda Viva

Senadora Simone Tebet foi citada por Bolsonaro como uma apoiadora do movimento pelo voto impresso e questionadora das urnas. (AP Photo/Eraldo Peres)
Senadora Simone Tebet foi citada por Bolsonaro como uma apoiadora do movimento pelo voto impresso e questionadora das urnas. (AP Photo/Eraldo Peres)

Em 2015, a senadora Simone Tebet votou a favor de uma minirreforma partidária (PL nº 5.735/13) que instituía uma comprovação impressa do voto feito nas urnas eletrônicas. Durante entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, nesta segunda-feira (8), a pré-candidata à Presidência negou que tivesse dúvidas sobre a segurança das urnas eletrônicas.

“Nunca duvidei da segurança das urnas. Nós estávamos discutindo uma minirreforma partidária e eleitoral, mas a maioria absoluta dos senadores e dos deputados federais aprovou essa reforma. Ali, nós queríamos trazer uma segurança para o eleitor, que tinha um questionamento sobre a segurança das urnas”, explica a senadora.

"Mas depois disso se passaram sete anos, fizemos audiências públicas, o TSE esteve conosco e foi tudo esclarecido", defende Tebet.

Tebet ainda afirmou que apresentou um manifesto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que afirmava acreditar na segurança do sistema eleitoral eletrônico.

No mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro (PL) deu uma entrevista ao Flow Podcast e citou Tebet como uma das apoiadoras do movimento pela volta do voto impresso.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

“Com o voto impresso, somos convencidos que não só as urnas são seguras, como o voto impresso poderia sim corromper a democracia e as eleições, porque com ele você poderia vender seu voto. Você imprime e comprova que votou e recebe o dinheiro”, acrescentou.

Durante a sabatina, a candidata foi lembrada de que a comprovação impressa do voto não foi instituída somente por ter sido derrubada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Questionada, ela acrescentou que, na época, ela e outros parlamentares acreditavam que estavam fazendo “um bem no sentido de dar um conforto à parcela da população que questionava”.

“Mas como eu disse, são sete anos. Eu mesmo não sabia que a urna não está ligada à internet. Não sabíamos disso no momento, faltou um tipo de esclarecimento antes da votação”, acrescentou.

Tebet foi a primeira entrevistada de uma série de entrevistas promovida pelo programa que trará os quatro pré-candidatos com maior intenção de votos registrados pela pesquisa Datafolha de 28 de julho.