'O Brasil está quebrado, não consigo fazer nada', diz Bolsonaro

·1 minuto de leitura
(Arquivo) O presidente ganhou popularidade graças à ajuda de emergência distribuída por nove meses a 68 milhões de brasileiros

"O Brasil está quebrado. Não consigo fazer nada", afirmou nesta terça-feira o presidente Jair Bolsonaro, atribuindo seus problemas a "esse vírus potencializado pela mídia", no momento em que a pandemia volta a ganhar força e os subsídios que salvaram milhões de pessoas da miséria se esgotaram.

Bolsonaro atribui a crise econômica brasileira às medidas de confinamento determinadas por governadores estaduais para combater a disseminação do novo coronavírus, que já deixou quase 198 mil mortos no país. O presidente ganhou popularidade graças à ajuda de emergência distribuída por nove meses a 68 milhões de brasileiros, quase um terço da população.

Este mês, a ajuda foi encerrada, em meio à pressão dos mercados, que alertam para o alto nível de déficit e endividamento do país, que pode ficar "à beira de um abismo social", segundo Marcelo Neri, diretor do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

"Por mais fortes que sejam as palavras do presidente, vejo isso como um argumento retórico para preparar politicamente os cortes de gastos emergenciais e tentar reequilibrar as contas públicas", opina André Perfeito, da corretora Necton. "A situação é grave, mas o problema central não é falta de dinheiro, e sim a falta de um plano claro", em um país que ainda não tem data para dar início à campanha de vacinação contra a Covid-19.

A curva de infecções e mortos continua subindo. Nas últimas 24 horas, o Brasil registrou 1.171 óbitos e quase 60 mil novos casos da doença, números que devem disparar nas próximas semanas devido às celebrações de fim de ano, segundo especialistas.

pr/js/lb