O brincar na educação infantil e seus benefícios

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Ao brincar, a criança desenvolve capacidades importantes, como atenção, memória, imaginação, raciocínio, poder de argumentação e julgamento (Getty Images)
Ao brincar, a criança desenvolve capacidades importantes, como atenção, memória, imaginação, raciocínio, poder de argumentação e julgamento (Getty Images)

Quando pensamos em brincadeira de criança, talvez associamos à um monte de atividades que vão distraí-las por um tempo, mas na verdade são muito mais importantes e eficientes do que imaginamos.

Há diferença entre as brincadeiras vividas em casa e atividades que as escolas propõem. Entender essas diferenças é fundamental para o desenvolvimento dos pequenos. Existem normas obrigatórias do Ensino Básico que direcionam o planejamento curricular do sistema de educação e das escolas. São chamadas de DCNs (Diretrizes Curriculares Nacionais), que afirma ser um direito da criança, e também um dos eixos norteadores das atividades pedagógicas.

A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) é um documento normativo que define quais são as atividades de aprendizado fundamentais a serem propostas nas escolas particulares e públicas do Brasil no Ensino Infantil. Esse documento garante o direito de aprendizado e desenvolvimentos dos alunos. E ao falar de brincadeira, a BNCC afirma ser um direito de aprendizagem.

Benefícios do brincar

Ao brincar, a criança desenvolve capacidades importantes, como atenção, memória, imaginação, raciocínio, poder de argumentação e julgamento. Através da brincadeira, é possível também formar personalidade, identidade, afetividade e aprimora sua criatividade.

É muito importante dizer que enquanto a criança brinca, ela assume um papel que diz muito sobre as ações cotidianas e o contato que tem com o mundo físico e social. Ao brincar, ela também está se preparando para a vida conforme vai compreendendo como as coisas funcionam.

Sabendo disso, é fundamental que haja um profissional por perto, acompanhando o desenvolvimento e comportamento dessa criança. Brincando, a criança entra em contato com seus primeiros momentos de liberdade, pois através dos esforços mentais e físicos que não estão sendo “coagido” por um adulto, ela aprende na prática o que é regra, respeito e relacionamento.

Consequentemente, a brincadeira torna-se ferramenta de comunicação. A criança aprende a ouvir, respeitar, discordar e cria autonomia. Isso é preparação fundamental para aprender a controlar emoções, atitudes e assim, ter um melhor desempenho ao longo da vida.

Como as brincadeiras afetam as crianças?

Ao perguntar para seu filho como foi o dia na escola, não se assuste se a resposta for “brinquei muito”. Existe por trás da brincadeira, algum ponto importante a ser desenvolvido. Por exemplo:

Brincadeira de faz de conta, envolve muita imaginação e também é uma forma da criança expressar o que vive do mundo adulto. Expressa muita emoção e também provoca interação seus colegas de classe.

Dominó, dados ou jogos com peças, desenvolve a capacidade de resolver problemas, habilidade de fazer contas, criar estratégias e claro, a criança aprende a lidar com sentimento de frustração, quando perde.

Massinha é uma ótima opção para desenvolver criatividade e coordenação motora. Entrar em contato com texturas e com a possibilidade de criar o que bem desejar, amplia sua autonomia e poder de decisão (assim como a atividade de desenho livre).

Brincadeiras desenvolvidas em casa também é oportunidade de aprendizado, porém não é garantido que haverá um acompanhamento do desenvolvimento da criança. Não há uma análise profissional profunda.