O essencial da manhã: Limite a juros do cheque especial pode reduzir oferta de crédito

Crédito com cartões de crédito

RIO — Confira as principais notícias do dia.

Bancos criticam teto para juros do cheque especial, e BC diz que corrigiu falha de mercado

A decisão do Conselho Monetário Nacional de limitar os juros do cheque especial a 8% ao mês foi criticada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que reclamou de “tabelamento de preços”. Após críticas, o Banco Central afirmou que corrigiu falha de mercado. Especialistas avaliam que a medida, aprovada pelo ministro Paulo Guedes, pode prejudicar a oferta de crédito.Bastidores: técnicos da equipe econômica foram contra a limitação, vista como radical e de eficácia discutível. Havia dúvidas se o Banco Central conseguiria emplacar a medida. Foi Guedes quem deu o aval para a resolução.Entenda: os bancos poderão cobrar pelo limite do cheque especial disponibilizado para clientes mesmo que eles não usem o serviço, o que hoje não tem custo. A tarifa poderá variar de acordo com cada instituição, tendo como teto 0,25% ao mês. Quem fizer uso da quantia, pagará apenas a tarifa de 8%. Veja simulações.Podcast: a editora de Economia, Luciana Rodrigues, e a repórter Renata Vieira explicam os desdobramentos da decisão do CMN.

Prefeitura do Rio tirou R$ 2,2 bilhões da saúde em 3 anos

Em quase três anos de administração de Marcelo Crivella, a prefeitura do Rio deixou de aplicar cerca de R$ 2,2 bilhões no setor de saúde. Somente este ano, não foram executados R$ 1,04 bilhão do orçamento. A prefeitura mantém, ainda, dívida de R$ 268,57 milhões com fornecedores, além de restos a pagar de anos anteriores.Por que isso importa: a rede de saúde sofre os efeitos da falta de investimento. Duzentas equipes de saúde da família foram desmobilizadas, e 2.500 funcionários foram demitidos, segundo vereador. No hospital Souza Aguiar, no Centro, faltam antibióticos, anestésicos e profissionais de saúde, e 25 vagas de CTI estão fechadas.

Ruth de Aquino

Não importa em que lado você esteja no espectro político. Basta um mínimo de cultura para saber que Bolsonaro deprecia artistas e escritores. Leia aqui.

Viu isso?

Retomada: após decisão do STF sobre dados de órgãos de controle, a Polícia Civil do Rio vai retomar mais de 200 investigações.

Ordem de Bolsonaro: o governo excluiu a “Folha de S.Paulo” de edital para renovar assinaturas de jornais e revistas.

Declaração: o ouvidor-geral do MP do Pará se afastou após dizer que “o problema da escravidão foi porque o índio não gosta de trabalhar”.

Presos LGBTs: apenas 106 unidades prisionais do país têm cela para transexuais e travestis. Ministério quer adequar presídios.

Barreiras: lei aprovada pela Alerj obriga estacionamentos a contratar operador para cada máquina de autoatendimento. Empresas ameaçam ir à Justiça.

Opostos: o Fluminense venceu o Palmeiras por 1 a 0. Pelo mesmo placar, o Vasco foi derrotado pelo São Paulo.

Literatura: morta em agosto, Fernanda Young venceu o Prêmio Jabuti na categoria crônicas. Livro do Ano retrata a desigualdade no país.

Comércio monta ‘operação de guerra’ contra panes na Black Friday

Temporada de descontos já movimentou R$ 871 milhões em 2019. Confira as dicas de última hora para as compras.

Wired Festival Brasil debate hoje o que o futuro nos reserva

Vice-presidente da Marvel Comics é a estrela do evento. Programação inclui mesas sobre cidades inteligentes, deepfakes e desinformação.

Festivais promovem shows gratuitos pelo Rio

Xenia França, Hamilton de Holanda, Beatriz Ferreyra e outros artistas internacionais estão na programação do Mimo e do Novas Frequências.

Jogue as palavras cruzadas do GLOBO em versão digital

Clique aqui para acessar as palavras cruzadas ou sudoku.

Essas são as principais notícias desta manhã. Acompanhe, também, a