O essencial da manhã: MP do emprego amplia reforma de leis trabalhistas

1 / 2

fila.jpg

Fila de emprego: MP que busca incentivar contratação de jovens também muda regras trabalhistas.

RIO — Confira as principais notícias do dia.

MP que cria Emprego Verde-Amarelo contém minirreforma trabalhista

A medida provisória que cria o programa Emprego Verde-Amarelo, nova modalidade para contratação de jovens, inclui alterações na legislação trabalhista que já haviam sido discutidas pelo Congresso, mas sem avanço. Especialistas consideram o pacote de medidas como uma segunda reforma trabalhista, o que o governo nega.

O que tem na MP: o texto muda regras para fiscalização, multas, participação nos lucros e resultados, jornada de trabalho, registros profissionais. Veja resumo.

Ponto em discussão: o governo propôs taxar o seguro-desemprego como forma de bancar o programa. A proposta foi criticada no Congresso, e o líder do governo no Senado disse que ela será revista. Parlamentares vão estudar outra forma de financiamento.

Senadora se declara presidente da Bolívia; Brasil é o primeiro país a reconhecer

A senadora Jeanine Áñez, da oposição ao ex-presidente Evo Morales, se declarou presidente interina da Bolívia. Ela reivindicou o comando do país sem nenhuma votação, depois de tentativas fracassadas de obter quórum no Congresso. Dono de bancadas majoritárias, o partido de Morales se ausentou, alegando falta de segurança. Áñez prometeu realizar novas eleições.

Reação local: o ex-presidente Carlos Mesa, que disputava a eleição com Morales, reconheceu Áñez como interina. O líder da ala radical, Luis Fernando Camacho, também. Exilado no México, Evo Morales disse que a posse da senadora conclui um golpe de Estado no país.

Repercussão: o Brasil foi o primeiro país a reconhecer Áñez, pouco mais de uma hora depois de ela se autoproclamar presidente.

Quem é: Jeanine Áñez tem 52 anos, tornou-se conhecida como apresentadora de televisão e entrou na política por acaso. Ela ocupava a vice-presidência do Senado desde 2010.

Bernardo Mello Franco

Bolsonaro quer um partido para chamar de seu. Como não conseguiu tomar o PSL, vai fundar outra sigla do zero. Assim nasce a Aliança, sujeita às vontades do presidente.

Viu isso?

Estratégia: o governo quer que bancos públicos diminuam taxas ao consumidor. O Banco Central vai mudar taxa do cheque especial; a Caixa Econômica Federal já reduziu para 4,99%.

Sem recursos: em 11 anos, o seguro DPVAT repassou R$ 33,4 bilhões ao SUS. Extinção determinada pelo governo deve impactar sistema de saúde.

Parecer contrário: comissão do Congresso considerou inconstitucional a MP que desobriga publicação de demonstrações financeiras em jornais.

Biometria: 25% do eleitorado não cadastrou digitais na Justiça Eleitoral. São 37 milhões de brasileiros que podem perder o título de eleitor.

Enem: o Ministério da Educação divulga hoje o gabarito oficial da provas.

Batalhas judiciais: comissões de universidades que verificam ingresso de alunos pelo sistema de cotas têm sofrido derrotas na Justiça.

Incentivo tributário: Gol e Azul vão ampliar voos no Rio para aderir ao regime que reduz o ICMS do querosene de aviação.

Memória alterada: a prefeitura do Rio quer flexibilizar regras de proteção a imóveis tombados.

Maracanã cheio: Flamengo e Vasco disputam clássico às 21h30, em rodada antecipada do Campeonato Brasileiro.

Ao Ponto: o caminho no Congresso da prisão após 2ª instância

Repórter e diretor da sucursal de Brasília explicam dificuldades políticas para tramitação de PECs e como o governo acompanha o debate.

Impasse financeiro ameaça o Museu de Arte do Rio

Dono de coleção de R$ 150 milhões, MAR busca solução depois de ficar sem R$ 398 mil, devidos pela prefeitura, e colocar funcionários em aviso prévio.

Essão as principais notícias desta manhã. Acompanhe, também, a