O GLOBO e Revista Época vencem Prêmio RELE 2019

RIO - O GLOBO e a Revista Epoca venceram o Prêmio Relatoría para la Libertad de Expresión (RELE) 2019, que é concedido pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) em parceria com o Instituto Prensa y Sociedad (IPYS), organização latino-americana de promoção do jornalismo investigativo, da liberdade de expressão e do acesso à informação.

A reportagem premiada mostrou que 102 pessoas com laços familiares foram nomeadas nos gabinetes do clã Bolsonaro ao longo dos 28 anos de exercício público. No caso de vários desses funcionários, conforme mostraram O GLOBO e a Revista Época, havia indícios de que não trabalhavam de fato, embora estivessem nomeados e recebessem salários.

A premiação foi entregue na madrugada deste domingo durante a Conferência Latino-americana de Jornalismo Investigativo (Colpin-2019), na capital do México.

O mapeamento feito pelo GLOBO e Época durante três meses em diários oficiais e com uso da Lei de Acesso à Informação sobre todos os assessores parlamentares da família Bolsonaro identificou 286 pessoas nomeadas nos gabinetes desde 1991. Dessas, após um cruzamento de informações de bancos de dados públicos e redes sociais, a reportagem identificou que ao menos 102 têm algum parentesco ou relação familiar entre si, fazendo parte de 32 famílias diferentes. O número representa 35% do total dos funcionários indicados no período.

Ao menos 37 dos 102 das pessoas que constavam como assessores tinham indícios de que não atuavam diretamente como funcionários. Eram babás, donas de casa, aposentados, entre outros, que apenas constavam no papel como assessores.

As versões impressa e digital da reportagem contaram com um infográfico com as relações de parentesco entre os assessores, e desses com os quatro gabinetes. Foi idealizada uma interface digital para consulta individual de cada assessor, otimizada para smartphones, com informações sobre salário, profissão e a relação familiar entre os assessores.

O Jornal Extra também foi um dos finalistas do prêmio Rele. A reportagem “Caveirão Voador” revelou que o helicóptero blindado da Polícia Civil, usado como plataforma de disparos, foi utilizado a cada quatro dias em 2018 — um aumento de três vezes em relação às ações registradas no ano anterior.