O GLOBO lança o festival online #tamojunto

Sérgio Luz, Luccas Oliveira e Silvio Essinger
1 / 3

arte (2).png

Festival #tamojunto

O isolamento é forçado, mas fundamental neste momento para conter a expensão do novo coronavírus. E a gente, que vive de recomendar programas culturais, contar o que vai na cabeça dos artistas e discutir questões que mobilizam o setor, decidiu fazer o que puder para ajudar na quarentena — a forma mais eficaz de conter o avanço da doença. Por isso, O GLOBO está lançando o festival online #tamojunto, que já mobiliza mais de 20 artistas de diferentes gêneros musicais e gerações.

Com casas de espetáculos fechadas e turnês canceladas em todo o país, a ideia é levar pocket-shows de grandes nomes da música brasileira para o público em casa. De sexta a domingo, das 18h às 22h, cada artista fará uma apresentação caseira intimista de 30 minutos — o famoso live — em sua conta oficial no Instagram, com transmissão completa ao vivo no site e nas redes sociais do GLOBO. Entre os artistas que aderiram à iniciativa estão Martinho da Vila, Adriana Calcanhotto, Jards Macalé, Marcos Valle, Duda Beat e Margareth Menezes.

— É uma ideia muito boa para todos. Esta é uma forma de o artista exercer seu ofício e animar as pessoas — diz Martinho.

O elenco ainda traz nomes como Dona Onete, Juliana Linhares (Pietá), Simone Mazzer, João Cavalcanti e Hamilton de Holanda. Com aulas presenciais canceladas na Universidade de Coimbra, onde leciona em Portugal, Adriana Calcanhotto reforça a importância da preocupação com quem se encontra nos grupos de risco da pandemia:

— Estou de quarentena musical, em casa, tocando violão, cantando e pensando no poder que as canções têm de nos manter unidos, ainda que a gente esteja isolado. Temos que pensar nas pessoas mais velhas, com saúde frágil e questões pré-existentes. A ideia é se manter unido pela música. Nossa maneira de colaborar é ficando em casa — ressalta a cantora, que também apresentará o projeto infantil Adriana Partimpim para as crianças

Mais um confirmado no #tamojunto é o astro do funk Nego do Borel, que também encara com seriedade o avanço do coronavírus

— É tudo muito novo e assustador. O mais importante neste momento é realmente ressaltar que as pessoas devem ficar em casa. Isso é sério, gente — alerta ele. — Um festival como esse é muito importante, porque estamos sendo o tempo todo bombardeados de notícias. E a música traz alegria, torna este momento de ficar em casa mais leve.

Editora do Segundo Caderno, Fátima Sá faz coro com o funkeiro:

— A gente precisa se isolar, mas não precisa se sentir sozinho. #tamojunto. Todos nós. Então, fica em casa e acompanha o festival com a gente. Depois da música, nós já estudamos outras áreas para as próximas semanas.

Este também é o apelo de Inês Amorim, editora do Rio Show, que acredita na possibilidade de unir a responsabilidade à diversão:

— Para tornar a quarentena mais amena, pensamos em coisas legais para as pessoas fazerem em casa. Vimos que alguns artistas estavam fazendo lives nas redes sociais, daí a ideia de juntar vários shows num festival on-line. Se você não pode ir até o artista, o artista vai até você.

Radicados em Portugal, os cantores e compositores Pélico e Momo farão suas apresentações do outro lado do Atlântico, onde estão em quarentena domiciliar.

— Os shows que faria aqui em Portugal foram cancelados. A iniciativa do festival é maneiríssima, estão fazendo por aqui também. É uma proposta ótima de seguir alimentando a música, a arte. Por um lado, este momento pode ser uma oportunidade de atingir um outro lugar de entendimento, com mais humanismo e compaixão. Pensar que sair à rua, dar um abraço, algo que era tão banal, talvez seja muito mais valorizado daqui pra frente. Temos que nos unir — conclama Momo.

A programação do #tamojunto segue com Matheus VK, Pedro Miranda, Zé Renato, Castello Branco, Duca Leindecker, Lucy Alves, Ana Gabriela, Jorge Vercillo e Cícero, que vai tocar canções de seu novo disco, “Cosmo”. Os outros artistas que estão no line-up do festival são Di Ferrero, que se recupera em casa do coronavírus, e Fran, neto de Gilberto Gil e filho de Preta Gil, que foi diagnosticada com a Covid-19.

— Neste momento de quarentena, precisamos ser conscientes e seguir sempre as orientações dos órgãos de saúde. A iniciativa de levar música e entretenimento de forma segura à casa das pessoas através de lives é excelente — comemora Fran.

A programação completa do #tamojunto, com horários e serviço, será divulgada sexta-feira, na edição impressa e no site do Rio Show.