"O governo Temer não tem a legitimidade que precisa", diz Geraldo Alckmin

joao sobrinho/Futura Press

O candidato à presidência do PSDB Geraldo Alckmin, em resposta aos vídeos recentes divulgados pelo presidente Michel Temer (MDB), afirmou na manhã desta quinta-feira (6) que “não votou” no emedebista e questionou a legitimidade do antigo vice de Dilma Rousseff (PT) desde que assumiu o cargo, em 2016.

“Houve o impeachment acompanhado pelo STF. O que nós defendemos? Temos responsabilidade para com o Brasil, tudo que for de interesse do país nós vamos votar a favor. O PSDB foi o partido que mais votou em reforma trabalhista, reforma do ensino médio, o que mais votou naquilo que acredita. Na época, eu disse que devíamos dar apoio parlamentar mas sem participar do governo. Não é um governo nosso. O problema do governo Temer não é o ministro, é o presidente que não tem a liderança que precisa ter e nem a legitimidade que também precisa ter”, declarou em sabatina organizada pelo jornal Estado de S. Paulo no campus da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em São Paulo.

À ocasião do impeachment da ex-presidente Dilma, o então governador de São Paulo defendeu publicamente, em mais de uma ocasião, que o partido não assumisse cargos no governo Temer. No entanto, o PSDB teve quatro tucanos exercendo altos postos em âmbito federal: Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), Bruno Araújo (Ministério das Cidades), Luislinda Valois (Secretaria de Direitos Humanos) e Aloysio Nunes (Ministério das Relações Exteriores) — este último assumiu a vaga no lugar do também tucano José Serra, que deixou o cargo alegando problemas de saúde.

Em um dos vídeos direcionados a Alckmin, divulgado também nesta quinta, Temer relembra, em tom irritado, que o PSDB integrou a base de seu governo: “Nomeei o José Serra para o Ministério das Relações Exteriores e ele fez um belíssimo trabalho, Geraldo. Nomeei o Bruno Araújo para o Ministério das Cidades, que ajudou a gerar muitos empregos.”

“Mais tarde eu levei o PSDB para dentro do Palácio do Planalto por meio do prezadíssimo Imbassahy que fez também um adequadíssimo e belíssimo trabalho de natureza política no governo. Que pode hoje vir a apoiar você invocando exata e precisamente aquilo que fizeram no meu governo. O PSDB apoiou o meu governo. Não faca como aqueles que falseiam e mentem para conseguir votos, influenciados pelos marqueteiros. Seja realista, conte exatamente a verdade”, acrescentou o presidente.

A série publicada por Temer serviu de resposta às críticas recentes que seu governo vem recebendo da campanha do tucano rumo ao Planalto. O primeiro vídeo do emedebista, divulgado ontem, relembra que os partidos aliados do MDB em dois anos de governo são os mesmos que integram a coligação de Alckmin.

Confira o vídeo mais recente de Michel Temer: