'O monstro matou mamãe'. Frase de filhos de vítima de assassinato ajudou obter condenação de suspeito

Alisson dos Santos Pereira foi condenado, nesta terça-feira, a uma pena de 16 anos e seis meses de prisão pela morte da vizinha , de 20 anos. A vítima foi esfaqueada e morta na frente dois filhos, em agosto de 2019, após uma discussão por conta do volume de um som, na comunidade Chico City, na Gardênia Azul, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

Alta tecnologia: Traficantes instalam câmeras escondidas em postes para monitorar rotina da polícia em Angra

Blindados: 'Caveirinhas' da PM começam a patrulhar vias expressas em agosto

De acordo com a sentença do juízo do 2º Tribunal do Juri da Capital, o acusado alegou que praticou o crime por achar que a mulher havia feito uma reclamação sobre o barulho produzido por ele , ao ouvir música alto dentro de casa, para integrantes de uma milícia da região. De acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro, durante a sustentação oral, a promotora de Justiça Simone Sibilio repetiu por diversas vezes a fala dos filhos da vítima depois do crime: “o monstro matou mamãe”.

"As circunstâncias do crime extrapolam a normalidade, tendo vista que o delito foi praticado na presença dos dois filhos da vítima, um de três e outro de cinco anos de idade”, menciona um trecho da sentença, acrescentando que esse fato torna ainda maior a reprovabilidade da conduta. “As consequências do crime também fogem à normalidade, já que a vítima era mãe de duas crianças, sendo uma delas portadora de síndrome autista, ambos totalmente dependentes do cuidado da genitora”, completa o documento.

O Ministério Público informou que recorreu do resultado do julgamento para tentar aumentar a pena imposta a Alisson pelo 2º Tribunal do Juri

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos