O Power Point está morto? Para essa startup, sim

·1 minuto de leitura
Young businesswoman explaining strategy over screen to colleagues at office. Entrepreneur is giving presentation in board room. They are planning during meeting.
Young businesswoman explaining strategy over screen to colleagues at office. Entrepreneur is giving presentation in board room. They are planning during meeting.

Pegue um slide do Powerpoint, integre uma ferramenta de trabalho online conjunto e um recurso de videoconferência e você terá o Pitch: um software de apresentação colaborativa lançado por uma startup alemã nesta terça-feira.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O Pitch aposta contra o programa de apresentações da Microsoft ao levar colaboração em apresentações de vendas e marketing para a era do Slack e do Zoom.

Leia também:

A startup sediada em Berlim atraiu 50 milhões de dólares em aportes de investidores que incluem os fundadores do Instagram Kevin Systrom e Mike Krieger, e do Zoom, Eric Yuan. O produto foi lançado depois de testes com 25 mil equipes.

"É um matador do Powerpoint", disse o presidente-executivo da Pitch, Christian Reber, à Reuters.

Reber criou e vendeu para a Microsoft em 2015 o software de gerenciamento de tarefas Wunderlist por preço de entre 100 milhões e 200 milhões de dólares. Ele chegou a trabalhar para a Microsoft, mas deixou a empresa em 2017 e com o núcleo da equipe do Wunderlist criou o Pitch.

O Pitch permite que equipes descentralizadas trabalhem em um ambiente compartilhado, o que permite atribuir tarefas, comentar sobre o trabalho de outros e realizar chamadas de vídeo para discussão de projetos.

Outros investidores da empresa incluem Index Ventures, Thrive Capital, BlueYard e The Slack Fund.

O programa é gratuito e tem uma versão premium que custa 10 dólares por mês por usuário e inclui uma ferramenta de análise que determina quais slides da apresentação receberam atenção.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Da Reuters