O que acontece com os terapeutas que passam os dias ouvindo relatos de traumas

Stephanie Barnes
1 / 3

O que acontece com os terapeutas que passam os dias ouvindo relatos de traumas

Talvez voce ja tenha ouvido a expressao "vida vicaria" \- ou seja, sentir aexperiencia de outras pessoas

Talvez você já tenha ouvido a expressão “vida vicária” – ou seja, sentir a experiência de outras pessoas. Talvez você tenha olhado obsessivamente o Instagram de um amigo de férias, ou então tenha acompanhado com atenção máxima as histórias dos encontros de um amigo ou amiga.

Mas nem todas essas experiências são positivas. Às vezes, ouvir os detalhes de uma situação desagradável pode causar trauma indireto, um fenômeno no qual você se sente afetado por tragédias mesmo que não tenha sido uma das vítimas.

O trauma indireto pode se manifestar de várias maneiras e ter intensidades diversas. É uma resposta de empatia natural ao sofrimento humano. Algumas pessoas têm mais tendência a senti-lo porque são sempre expostas ao traumas dos outros. Um desses grupos? Os terapeutas.

“O trauma vicário é muito real e pode se manifestar de forma sutil. É essencial que os terapeutas prestem atenção ao seu próprio processo quando lidam com o trauma dos clientes”, diz Mahlet Endale, psicóloga de Atlanta. “Quanto mais cedo você perceber, mais cedo poderá tomar medidas para evitar potenciais problemas.”

Embora possa ser fácil imaginar-se em outro lugar ou simplesmente deixar a mente divagar durante as sessões, muitos profissionais de saúde mental acreditam que têm de viver emoções dos clientes em certo nível, diz Tracy Vadakumchery, conselheira do The Feeling Good Center, em Nova York.

Para demonstrar empatia verdadeira, temos de compartilhar a dor do cliente em um certo nível – sentir o que eles estão sentido.”Tracy Vadakumchery, conselheira do The Feeling Good Center, em Nova York

“Quando as pessoas contam experiências traumáticas, elas se sentem vulneráveis e precisam da segurança de um terapeuta de confiança para fazê-lo.”

Mas os terapeutas não sentem os efeitos das consultas imediatamente, diz Nicole M. Ward, terapeuta de casais e famílias especializada em trauma indireto. Mas eles ainda são seres humanos – e,...

Continue a ler no HuffPost