Extremismo político e bebedeiras: o que apagar das redes sociais ao procurar emprego

O que deletar das suas redes sociais antes de começar a procurar emprego

As redes sociais são uma parte indispensável da vida, isso não há como negar. Não precisamos dizer, entretanto, que nem tudo que publicamos parecem boas ideias aos olhos do RH de uma empresa. Por isso, às vezes é melhor fazer uma limpa quando estiver concorrendo a uma vaga.

“As primeiras impressões se dão num piscar de olhos, e parte desse processo está acontecendo nas redes sociais, antes mesmo da entrevista de emprego,” diz Blair Decembrele, especialista em carreiras do LinkedIn.

Leia também

“Os posts nas redes sociais dão aos empregadores pistas de quem você é, além do seu currículo ou carta de apresentação, o que pode ser bom – ou ruim – dependendo do que as suas publicações dizem a seu respeito”, explica.

Ainda nnao acredita? Aqui vai a prova: quase um quinto (17%) dos recrutadores dos Estados Unidos já eliminaram um candidato devido a fotos inapropriadas publicadas online, segundo Decembrele.

Onde está o limite?

Embora elas não sejam divulgadas explicitamente, as regras para transmitir a imagem de um bom profissional podem parecer rígidas demais. Sem conhecer os padrões de um gerente de RH, algumas mudanças simples podem, pelo menos, evitar os conteúdos mais comuns que acendem o sinal de alerta:

  • Fotos com bebidas alcoólicas, drogas e armas.

  • Linguagem discriminatória ou vulgar.

  • Reclamações de antigos empregadores.

  • Extremismo político.

“Postagem políticas incessantes podem ser prejudicais, principalmente se elas provocam discussões acaloradas”, explica a especialista.

Abondonar as redes sociais? Péssima ideia

Talvez seja tentador abandonar de vez as redes sociais, mas este comportamento também pode acabar sendo negativo. “Pode parecer que você tem algo a esconder,” ela alerta. Decembrele sugere definir limites entre a sua vida pessoal e profissional. Por exemplo, você pode ter um perfil público no Twitter e ativar configurações de privacidade rígidas no seu perfil no Facebook.

Na dúvida, apague

“Geralmente, uma boa regra a seguir é: se você não quer que sua mãe veja o conteúdo, não publique,” diz Kristen Ribero, chefe de employer branding do Handshake, um canal de carreira para estudantes universitários e recém-graduados.

Descobrir maneiras de destacar experiências e qualificações relevantes é importante, mas compartilhar informações sobre suas paixões e hobbies também pode ajudar. Manter seus perfis privados reduz o risco de que conteúdos menos relevantes, mas possivelmente prejudiciais, surjam, quando um recrutador buscar informações sobre você.

Ser cortado de um processo seletivo por causa de algo que o RH viu nas suas redes sociais pode parecer injusto, mas eles buscam funcionários para “representar orgulhosamente a empresa, não apenas durante o expediente, mas a todo momento,” destaca Ribero.

Então, depois de se preocupar com currículo e carta de apresentação, passar alguns minutos organizando a sua vida digital é uma ação simples que pode lhe proporcionar um excelente retorno.

Matthew De Silva