O que explica a passagem de tornado por Santa Catarina

·4 min de leitura
Agente da Defesa Civil em área afetada por tornado em Timbó, no interior de Santa Catarina
Agente da Defesa Civil em área afetada por tornado em Timbó, no interior de Santa Catarina

A Defesa Civil de Santa Catarina confirmou que um tornado com velocidade de mais de 130 km/h atingiu a cidade de Timbó, no interior do Estado, na quarta-feira (5/1). O forte vendaval causado pelo fenômeno destelhou casas, destruiu comércios e até fez veículos pesados tombarem.

Nesta quinta-feira (6/1), a Prefeitura de Timbó fez uma força-tarefa para limpar o rastro de destruição que atingiu a cidade. Foram dezenas de registros de quedas de árvores e ruas inteiras sem energia elétrica.

Mas o que causou esse tornado?

De acordo com uma nota técnica emitida pela Diretoria de Gestão de Risco, entre a tarde e a noite de quarta-feira, foram registradas "perturbações em níveis médios".

Segundo o órgão, isso ocorreu devido à passagem de uma frente fria pelo sul do Brasil, aliada ao calor típico para esta época do ano e à disponibilidade de umidade.

"Esta condição atmosférica favoreceu o desenvolvimento de áreas de instabilidade que ocasionaram temporais acompanhados de chuva intensa, descargas elétricas (raios), rajadas de vento nas regiões do centro leste catarinense. O destaque foi a ocorrência de um tornado no Vale do Itajaí", informou o documento.

Além da passagem de uma frente fria, o calor e a grande umidade, os meteorologistas do Climatempo também destacaram a circulação de ventos em alturas médias na atmosfera para a formação dessas tempestades e do tornado.

'Intenso movimento ascendente'

O relatório da Defesa Civil de Santa Catarina ainda apontou que ocorreu uma chuva forte, com precipitação de 66 mm na cidade de Gabiruna, 60 mm em Brusque e 38 mm em Timbó entre o fim da tarde e início da noite de quarta-feira.

Esta condição atmosférica favoreceu o desenvolvimento de áreas de instabilidade que ocasionaram temporais com raios, rajadas de vento nas regiões do centro-leste catarinense e de tornado no Vale do Itajaí.

Nas imagens registradas pelo radar meteorológico de Lontras foram identificados núcleos de temporais às 16h57, na região da cidade de Timbó. Nessa área foi possível observar, segundo os especialistas, gráficos e desenhos típicos de uma "tempestade severa".

Eles explicam que os softwares dos radares indicaram um "intenso movimento ascendente", geralmente encontrado em tempestades severas. As imagens da velocidade de vento apontaram para um intenso contraste de velocidades positivas e negativas, o que também indica a formação de um tornado.

Também foi possível observar, segundo os meteorologistas, uma área de nebulosidade com baixas temperaturas de brilho (indicada pela tonalidade esverdeada), o que indica, segundo eles, um significativo desenvolvimento vertical.

Esse movimento caracteriza uma célula convectiva, que tem potencial para geração de tempestades. Pontos cor-de-rosa ao redor deste núcleo indicam também a ocorrência de raios.

No total, a Defesa Civil emitiu cinco alertas meteorológicos para as tempestades que ocorreram nos últimos dias em Santa Catarina. Quatro deles foram em nível de observação e um em nível de atenção para a cidade de Timbó.

Previsão para os próximos dias

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão é que os próximos dias tenham poucas chuvas na cidade de Timbó, atingida pelo tornado. A previsão é de chuvas isoladas e poucos ventos nos próximos dias.

De acordo com o Inmet, a temperatura mínima deve ser de 16ºC tanto na sexta-feira (7/1) quanto no sábado (8/1). Com máxima de 26ºC e 28ºC, respectivamente.

As chuvas também devem persistir na maior parte do país.

A previsão é de temporais no Rio de Janeiro, entre a Costa Verde e o Vale do Paraíba, com ventos de até 70 km/h. A previsão é de temperatura máxima de 28ºC na capital fluminense na sexta e no sábado, com mínima prevista pelo Inmet de 22ºC em ambos os dias.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências, da Prefeitura de São Paulo, os ventos úmidos que passam a soprar do oceano nos próximos dias devem causar nebulosidade, chuva e queda nas temperaturas na capital paulista.

Na sexta-feira, os termômetros não devem superar os 23ºC, com mínima de 18ºC. A previsão repete os mesmos números para sábado, com chuvas isoladas durante a tarde.

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos