O que pretendia membra do PCC que sequestrou bebê de 7 meses no DF

Membra do PCC sequestrou criança de 7 meses no DF - Foto: Reprodução
Membra do PCC sequestrou criança de 7 meses no DF - Foto: Reprodução
  • Membra do PCC sequestrou criança de apenas 7 meses na última sexta-feira

  • Ela pretendia fugir com a bebê e criá-la como se fosse sua própria filha

  • A polícia localizou a suspeita, prendeu-a e devolveu a criança à mãe

Responsável pelo sequestro de uma bebê de apenas 7 meses em Santa Maria, Distrito Federal, Natália Santos Sousa foi presa na última segunda-feira (12) em Luziânia, Goiás.

A criminosa é membra do Primeiro Comando da Capital (PCC) e chegou a ser alvo de uma operação da Polícia Civil em 2020, segundo informações do portal Metrópoles.

A criança foi devolvida à mãe, Camila Alves, de 24 anos, que considerava a suspeita uma amiga e vivia no mesmo lote de terreno que ela.

Interrogada sobre o motivo que havia a levado a sequestrar a bebê, Natália explicou, segundo o Metrópoles, que pretendia criá-la como sua filha.

“Ela disse que gostava muito da criança e pretendia criá-la. Não imaginava que ela faria uma coisa dessas, mas agora vejo que não podemos confiar em ninguém. Agora, só quero cuidar da minha filha”, comentou Camila.

A suspeita é de que Natália tenha tentado amenizar a dor da perda de seu próprio filho. O recém-nascido morreu este ano, antes de completar um mês de vida.

Segundo familiares, a criminosa também possui comportamento agressivo, é instável e tem histórico de ameaças aos parentes, além de ser usuária de entorpecentes.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Claudia Alcântara, Natália passou três dias com a bebê, nos quais dormiu com ela embaixo de uma árvore.

“Ela embrulhava a criança em uma manta e a colocava para dormir no carrinho. Foram três noites assim, no relento”, relatou.

Suspeita localizada

A criminosa havia saído com a bebê na última sexta-feira (9), sob justificativa de que a levaria a uma loja de celulares. Ela, de fato, esteve no comércio com a criança, mas não voltou.

Natália deixou a loja de celular e foi visitar amigos, apresentando a criança sequestrada como sua filha. Depois, fugiu e não foi mais vista.

Somente nesta segunda, a Polícia Militar de Goiás localizou a suspeita com a bebê. Ela foi detida e levada à 33ª DP (Santa Maria) para prestar depoimento. Já a criança foi entregue de volta aos braços da mãe.