O que se sabe sobre o casal assassinado brutalmente em Santa Catarina

As mortes de Agostinho Petry, de 57 anos, e Eliana Maria Stickel Francisco, de 46 anos, chocou o estado de Santa Catarina. Os corpos do casal foram encontrados na noite de terça-feira, em Timbó, no Vale do Itajaí. O homem estava semi decapitado e a mulher apresentava lesões na cabeça. O caso é investigado pela Polícia Civil, que busca identificar suspeitos.

Entre Londres e SP: Médica brasileira socorre passageiro em voo e evita pouso emergencial

Jovem entrou em coma: UFMG entrega imagens que mostram estudante pouco antes de ter convulsões

Uma das hipóteses levantadas é a de que o crime tenha se tratado de um latrocínio. No entanto, como o único item de valor levado foi uma caminhonete abandonada logo depois, a questão ainda está em aberto:

— Houve a subtração de um veículo que foi abandonado em seguida. Vamos primeiro identificar os autores e depois ver se a motivação foi obter algum bem patrimonial, aí será latrocínio, ou se foi apenas matar as vítimas e usar o carro para fuga, o que será homicídio e furto. — explica o delegado André Beckmann, responsável pelo caso.— Pode ser que só queriam matar as pessoas.

Ainda segundo o delegado, Petry tinha passagens pela polícia, mas elas não são consideradas relevantes para o caso até o momento.

A PM foi acionada por volta das 20h pelo filho de Agostinho Petry, que estranhou a demora do pai em responder suas mensagens de celular. Ele, então, foi até a residência, no bairro Araponguinhas, e encontrou o casal assassinado e a casa revirada.

Cada corpo estava em um aposento diferente da casa e foram agredidos com arma branca. O homem estava amarrado, com o pescoço cortado. A mulher, por sua vez, estava em outro aposento com lesões na cabeça e nas costas.

Uma espingarda foi encontrada no local e cartuchos de munição estavam espalhados pelo chão da casa. Segundo a Polícia Civil, a arma não foi usada no crime. As investigações ainda devem determinar a quem ela pertencia, se aos criminosos ou às vítimas.

A Polícia Civil aguarda ainda os resultados dos laudos cadavéricos e da perícia na cena do crime para ter mais pistas sobre o assassinato. Depoimentos deverão ser colhidos de pessoas que possam ajudar a elucidar o crime.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos