O que se sabe sobre mulher encontrada morta ao lado da filha em SP

Mulher encontrada morta em apartamento na região da Sé, Centro de São Paulo, era Sandra Maria de Sousa. — Foto: Reprodução/TV Globo
Mulher encontrada morta em apartamento na região da Sé, Centro de São Paulo, era Sandra Maria de Sousa. — Foto: Reprodução/TV Globo
  • Companheiro mexicano que usa nome falso é principal suspeito

  • Bebê foi resgatada com sinais de desidratação e desnutrição

  • Caso é investigado como feminicídio

Sandra Maria de Souza, de 34 anos, foi encontrada morta em um apartamento na região Central de São Paulo, neste domingo (24). Uma criança de oito meses, filha da vítima, estava dentro do berço, com sinais de desidratação e desnutrição. O namorado de Sandra está foragido.

O caso agora está sendo investigado pela Polícia Civil. Veja a seguir o que já se sabe sobre o caso.

Quem era Sandra?

Sandra Maria de Sousa Silva era cabeleireira e trabalhava em um estabelecimento do Centro de São Paulo. Profissionalmente, era especialista em aplicação de aplique de cabelo.

Ela também vivia em um apartamento da região com a filha, localizado na Rua Tabatinguera, na Sé. A bebê, de apenas oito meses, é fruto de um relacionamento anterior de Sandra.

Corpo foi encontrado por amiga

Sandra estava desaparecida desde a última sexta-feira (22). Amigos e parentes não conseguiam contatá-la por telefone e, por isso, uma amiga decidiu chamar um chaveiro para abrir seu apartamento.

A vítima foi encontrada morta em cima da cama. Seu corpo apresentava marcas de agressão, como vestígios de sangue ao redor do nariz e da cabeça, além de duas perfurações causadas por arma branca, possivelmente uma faca, de acordo com a Polícia Militar.

Companheiro é suspeito

“Davi Rodrigues”, de 30 anos, era companheiro de Sandra há mais ou menos dois meses e é o principal suspeito. Durante o breve relacionamento, a vítima chegou a contar à irmã, à mãe e a uma amiga que sofria violência.

O nome usado pelo suspeito, no entanto, é falso. Seu nome verdadeiro é Daniel Ospina Garcia e ele é mexicano, segundo as autoridades. Ele foi avistado pela última vez na sexta-feira (22), carregando bolsas enquanto saía do edifício onde Sandra morava.

Agora, ele é considerado desaparecido, porque não teve a prisão decretada. Ele já foi preso em quatro ocasiões, acusado de furto e tráfico de drogas, conforme informou a Polícia Civil. No momento, ele é alvo de um processo na Justiça Federal de expulsão do Brasil. A polícia pede que a Justiça verifique se ele deixou o território nacional.

Bebê tinha sinais de desidratação e desnutrição

Quando a amiga entrou no apartamento, encontrou a filha de Sandra em um berço, ao lado do corpo. A menina, de apenas 8 meses, tinha sinais de desidratação e desnutrição. Ela ficou dias sozinha ao lado da mãe.

Além disso, o bebê apresentava hematomas e marcas pelo corpo. Segundo os policiais, foram causados por tentativas da criança sair do berço. Ela foi encaminhada à Santa Casa de Misericórdia, no Centro da capital paulista, e já teve alta.

Agora, o Conselho Tutelar irá avaliar com quem a menina vai ficar. O pai e familiares de Sandra manifestaram interesse em ter a guarda.

O que dizem familiares e amigos

Amigas e vizinhos acionaram um chaveiro para abrir o apartamento de Sandra, após o último contato com ela ter sido na sexta-feira (22). Além disso, segundo eles, um odor forte também vinha do imóvel da vítima.

"A gente ficou sabendo por uma amiga dela, que me ligou mais cedo perguntando se ela estava comigo, na minha casa. Eu falei para ela que não estava, aí ela falou que viria na casa para ver o que tinha acontecido porque já tinha dois dias que ela estava sumida", disse a irmã da vítima.

Segundo informações do G1, familiares da vítima afirmaram que Sandra estava grávida de um mês.

“A pessoa tirar a vida de alguém, assim, do nada. destruir uma vida, uma família, uma bebezinha de 8 meses, sozinha, trancada dentro de um quarto. Uma família acabada, destruída.”

“Ela tinha me ligado de vídeo na sexta-feira e ela estava com a boca meio machucada e esse homem estava lá na casa dela com ela. Eu perguntei se ele tinha batido nela, mas ela falou que não”, relatou a irmã de Sandra.

Investigações

Agora, a polícia recolhe depoimentos, incluindo do ex-companheiro da vítima e de um funcionário do prédio.

Estão sendo feitas diligências em endereços de Davi, principal suspeito. Um celular foi encontrado e será periciado. A Secretaria de Segurança Pública também pediu imagens de monitoramento do edifício onde ocorreu o crime.

O caso está sendo investigado como feminicídio e violência doméstica e está a cargo da 1ª Delegacia Da Mulher (Centro).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos