O que se sabe sobre o golpe de quase R$ 1 milhão da formatura da USP

Aluna de medicina que teria desviado da festa da turma e já é investigada por estelionato e lavagem de dinheiro

Aluna de Medicina da USP foi acusada por colegas de golpe ao desviar cerca de R$ 1 milhão da festa de formatura. (Foto: Divulgação)
Aluna de Medicina da USP foi acusada por colegas de golpe ao desviar cerca de R$ 1 milhão da festa de formatura. (Foto: Divulgação)
  • Estudante de Medicina da USP, apontada por colegas como autora de um golpe, pegou dinheiro levantado pela comissão e transferiu para a própria conta;

  • Aluna alegou ter investido e perdido quantia, e que precisaria de restante do dinheiro para buscar advogados e resgatar montante;

  • Denunciada por colegas de comissão, estudante já é alvo de outra investigação por estelionato e lavagem de dinheiro.

A estudante do curso de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) Alicia Dudy Muller Veiga, de 25 anos, é investigada pela Polícia Civil após denúncia de que ela teria desviado aproximadamente R$ 927 mil do fundo criado para pagar a festa de formatura da turma.

Presidente da comissão, ela foi denunciada por outro estudante em 10 de janeiro deste ano. depois que a Associação de Formatura da 106ª Turma do Curso de Medicina da Faculdade de Medicina da USP constatou que ela havia retirado todo o montante acumulado pelos estudantes sem o conhecimento nem o consentimento de qualquer outro membro.

O dinheiro havia sido arrecadado nos últimos quatro anos. Alicia Dudy, que disse ter sido vítima de golpe de uma financiadora, transferiu para a conta pessoal dela todo o valor que estava na conta da empresa ÁS Formaturas.

5 pontos para entender o caso da golpista da USP

Quem é a aluna e o que ela fez?

Alicia Dudy ingressou na faculdade de medicina da USP em 2018 e tinha pretensões de se especializar em cirurgia, segundo informações levantadas pelo portal G1.

Para transferir o dinheiro para a própria conta, ela teria alegado que aplicaria R$ 800 mil na corretora de investimentos Sentinel Bank. Depois disso, ela disse:

  • ter sido enganada; e

  • que a empresa teria ficado com o dinheiro.

O valor restante seria então destinado a pagar advogados na tentativa de recuperar o investimento.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a jovem é investigada por apropriação indébita. Questionada pelo G1, a pasta não informou ainda se Alicia foi ouvida pela polícia.

A estudante pode ser presa?

Segundo resposta da pasta ao G1, Alicia pode ser presa se houver um pedido feito pela polícia à Justiça. Contudo, não há informações se esse pedido já foi feito.

O que diz a Faculdade de Medicina da USP?

A Faculdade de Medicina da USP declarou ao G1 já estar informada sobre o caso e que apura os fatos para identificar responsáveis pela suposta fraude.

O que diz a empresa da formatura?

Já a empresa ÁS Formaturas declarou ao G1 que o contrato com os estudantes limitava-se a arrecadar os valores e transferi-los para a turma, além de realizar a cobertura fotográfica do evento. De acordo com a ÁS, todas as transferências foram realizadas “conforme o estabelecido nas cláusulas contratuais”.

A empresa se colocou à disposição das autoridades para o fornecimento de contratos, documentos, e-mails e demais informações necessárias.

Além disso, o empreendimento indica que, “mesmo estando isento de responsabilidades legais, estamos em contato com a comissão de formatura para buscar algum tipo de solução que viabilize a realização do evento planejado", ressaltou.

A Sentinel Bank não respondeu aos questionamentos do portal.

Aluna já foi investigada por outro caso?

Alicia também é alvo de uma investigação por estelionato e lavagem de dinheiro. O caso teria ocorrido envolvendo apostas de grandes valores em uma casa lotérica na Zona Sul de São Paulo. O prejuízo estimado aos proprietários é de R$ 192,9 mil.

Um inquérito para investigação do caso foi instaurado em julho de 2022, pela Polícia Civil. De acordo com um dos depoimentos coletados, Alicia fez quase R$ 20 mil em apostas na Lotofácil, todas pagas via Pix, em abril do ano passado.

Posteriormente, passou a fazer apostas em grandes valores, totalizando R$ 461 mil. Em julho, ela solicitou R$ 891,5 mil em apostas e foi questionada pela gerente da lotérica sobre o pagamento.

Na ocasião, Alicia teria dito ter realizado uma transferência de R$ 891,53. Todavia, após uma discussão, ela saiu do lugar sem pagar cinco apostas de $ 38,7 mil cada, totalizando R$ 193,8 mil.

De acordo com o inquérito obtido pelo G1, Alicia ainda não foi ouvida sobre o caso.