O que você precisa saber para começar o domingo

Amanda Perobelli/Reuters

Governadores do Nordeste assinam carta de repúdio a Bolsonaro após ataques dele a Paulo Câmara (PSB); deputada federal Carla Zambelli reclama de “falta de democracia” no PSL, após ser suspensa; Bolsonaro tentou comprar deputados da legenda com oferta de cargos e do controle do partido, segundo líder do PSL na Câmara.

Veja aqui o que você precisa saber para começar o domingo:

Governadores do NE contra Bosonaro

Oito governadores do Nordeste assinaram uma carta em repúdio aos ataques feitos presidente Jair Bolsonaro contra o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). Em uma postagem no Facebook feita na última sexta-feira, Bolsonaro chamou Câmara de "espertalhão" e compartilhou um vídeo criticando uma campanha do Governo de Pernambuco sobre o pagamento da 13ª parcela do Bolsa Família com recursos do estado. No texto, publicado no mesmo dia, os políticos lamentam que "missão confiada ao atual presidente seja transformada em um vergonhoso exercício de grosserias e, neste caso, também na propagação de falsidades".

Zambelli e a “falta de democracia” do PSL

Suspensa de suas atividades em comissões e diretórios do PSL ao lado de outros quatro deputados, a deputada federal Carla Zambelli criticou a atitude do partido e definiu que ela "tem por objetivo invalidar a lista que colhe assinaturas para eleger um novo líder do partido na Câmara". A parlamentar emitiu nota na qual avaliou que a atitude é uma demonstração da "falta de democracia" na legenda. "Querem praticamente cassar nosso mandato, uma vez que as comissões são uma parte importantíssima de nosso trabalho”, reclamou.

Bolsonaro tentou comprar deputados, diz líder do PSL

O presidente Jair Bolsonaro tentou comprar deputados da legenda com oferta de cargos e do controle do partido. A afirmação foi feita nessa sexta-feira (18) pelo deputado Delegado Waldir (GO), líder do PSL na Câmara. De acordo com o portal G1, Waldir afirmou que o objetivo seria que esses parlamentares assinassem lista de apoio ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, a fim de torná-lo líder do partido no lugar do próprio Waldir. A lista do filho do presidente recebeu 27 assinaturas; a de Waldir, 29, o que o fez permanecer no posto.

Falta de diálogo no Mercosul

A equipe do presidente Jair Bolsonaro vem ignorando sucessivos pedidos da indústria brasileira por mais transparência nas discussões de abertura unilateral da economia. É o que demonstram quatro cartas formais, até agora sigilosas, enviadas pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e pela CEB (Coalizão Empresarial Brasileira) aos ministérios da Economia e das Relações Exteriores.

Simples Nacional e a reforma da Câmara

Apesar de a reforma tributária que tramita na Câmara prever a manutenção do Simples Nacional, parlamentares e entidades do setor de serviços avaliam que a proposta pode prejudicar micro e pequenas empresas. Há pelo menos três emendas apresentadas por deputados, com apoio de entidades privadas, que tratam do Simples. Uma para ampliar o programa, outra para restringi-lo e uma terceira que pode até reduzir a carga tributária de quem está nesse regime.

Superintendente do Safra condenado

A Justiça condenou o superintendente de segurança do Banco Safra a um ano de prisão sob a acusação de coação. Ele é acusado de ter contratado um segurança armado para ameaçar um cliente que acusava o banco de praticar fraudes em série contra comerciantes. O segurança contratado perseguiu um empresário de Campinas, cidade do interior de São Paulo, num carro que tinha de 172 munições de pistola, faca, barra de ferro e um par de algemas, segundo a Polícia Militar, que prendeu o suspeito.