O que você precisa saber para começar a quinta-feira

Amazônia vem sofrendo com o alto número de queimadas em 2019 - Foto: REUTERS/Adriano Machado

Ataque com machado em escola, demissão de secretário depois de atitude polêmica do presidente Jair Bolsonaro e o aumento do número de queimadas na Amazônia.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO FLIPBOARD

Confira o que você precisa saber para começar a quinta-feira (22):

Amazônia em chamas

A Amazônia tem sofrido com um recorde de focos de queimadas neste ano. De acordo com dados do INPE, baseados em imagens de satélite, já são 74.155 incêndios detectados entre 01 de janeiro e 20 de agosto de 2019. Há, portanto, um aumento de 84% em relação ao ano passado. O presidente Jair Bolsonaro sugeriu que ONGs pudessem estar por trás do aumento desse péssimo índice para o país.

Ataque no RS

A Brigada Militar apreendeu o suspeito de invadir e atacar alunos do Instituto Estadual Educacional Assis Chateaubriand, em Charqueadas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. O adolescente de 17 anos foi encaminhado para a Delegacia de Polícia da cidade para prestar esclarecimentos. Acontecimento lembrou tragédia ocorrida em Suzano, em março deste ano.

Lula processa blogueira

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) entrou com uma ação por danos morais contra um blogueira que ironizou a morte de seu neto Arthur, de 7 anos, em março deste ano.

Censura?

O secretário especial de Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, anunciou que deixará o cargo e que já acertou a sua saída com o ministro Osmar Terra. Pires disse que não irá “chancelar censura”. Ele estava no cargo desde o início do governo de Jair Bolsonaro e afirmou que definiu sua saída depois que o ministério suspendeu um edital que havia selecionado séries sobre diversidade de gênero e sexualidade a serem exibidas nas Tvs públicas.

MP Liberdade Econômica

O Senado aprovou a chamada Medida Provisória da Liberdade Econômica, uma das prioridades do governo do presidente Jair Bolsonaro, mas retirou da MP os pontos relacionado ao trabalho nos domingos.