'O risco de a pessoa contrair a Covid-19 é o mesmo com o jogo e sem jogos', afirma Queiroga

·1 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 26.05.2021 - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participa de evento de sanção de projeto de lei que amplia o teste do pezinho no SUS, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 26.05.2021 - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participa de evento de sanção de projeto de lei que amplia o teste do pezinho no SUS, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que as práticas esportivas estão liberadas no Brasil e que não existem provas que essa prática aumenta o risco de contaminação pela Covid-19. Por isso não vê problemas na realização da Copa América do Brasil.

"O esporte está liberado no Brasil e não existe provas de que essa prática aumenta o nível de contaminação dos atletas. O [teste] RT-PCR ocorre normalmente independente de futebol. Qualquer cidadão da Argentina, independente da Copa América, entra no Brasil com um exame de RT-PCR", afirmou ao ser questionado pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL), sobre a realização da Copa América do Brasil.

Queiroga afirmou que o papel do Ministério da Saúde foi analisar os protocolos propostos pelas confederações de futebol, brasileira e da América do Sul. O ministro justificou afirmando que já são realizados jogos do campeonato Brasileiro, Taça Libertadores da América, eliminatórias para a Copa do Mundo e campeonatos de outros esportes.

"São protocolos que permitem a segurança para os jogos no Brasil", afirmou o ministro, que ainda completou que Copa América não é um evento de grandes proporções, "não é uma Olimpíada".

"Não vejo do ponto de vista epidemiológico uma justificativa contrária à realização do evento. O risco de a pessoa contrair a Covid-19 será o mesmo com o jogo ou sem o jogo", completou.