O vídeo de pássaros sendo soltos circula ao menos desde 2017 na internet com atribuição a Taiwan

·3 min de leitura

Uma gravação que mostra dezenas de milhares de pássaros saindo de contêineres dentro de um navio com a alegação de que a China estaria soltando os animais no oceano “no começo dessa semana” foi compartilhada mais de 39,5 mil vezes nas redes sociais ao menos desde 4 de novembro de 2021. Mas isso é falso. O vídeo, que também circula com a alegação de que são pássaros “criados em laboratorio”, pode ser encontrado online ao menos desde 2017 atribuído a uma competição de pombos em Taiwan.

“No começo dessa semana a China soltou milhares de pássaros em meio ao oceano. O quê será que vem por aí?” e “China solta milhares de pássaros Criados em laboratório. Será o que vem por aí. ?”, dizem algumas das legendas em publicações que contêm o vídeo, compartilhado no Facebook (1, 2, 3), no Instagram (1), no YouTube (1) e no Twitter (1, 2, 3).

Nos comentários, usuários questionavam que poderia se tratar de uma suposta ação da China, em referência à covid-19, cuja detecção foi inicialmente registrada na cidade chinesa de Wuhan em dezembro de 2019: “Outra Variante ou outro vírus????”, “A Cepa do passarinho,!? seria engraçado se não fosse uma hipótese” e “Será que vai vir outra praga de vírus”.

Captura de tela feita em 10 de novembro de 2021 de uma publicação no Facebook ( . / )

Gravação de 2017

Uma busca reversa no Google por fragmentos do vídeo obtidos por meio da ferramenta InVID-WeVerify* levou a uma matéria com data de maio de 2018 escrita em indonésio, segundo o Google Tradutor, cujo título era, em tradução livre: “Mais de um milhão de pombos-correio morrem em corridas marítimas”.

Ao longo do texto é explicado que se trata de uma corrida de velocidade com essas aves em uma distância pré-determinada e indica que a organização norte-americana de direitos dos animais Peta (na sigla em inglês) realizou uma investigação da indústria de columbofilia - prática de criação de pombos-correio para competição - em Taiwan.

A mesma pesquisa ainda levou a um artigo em um site taiwanês com data de novembro de 2017, que contém uma sequência com as mesmas cenas virais e uma captura de tela de um dos momentos do vídeo, com a seguinte legenda: “Frota Jin Ping: Lançamento de pombos-correio às 7h30 do dia 1º de novembro durante o treinamento de 50 km no mar”.

Uma busca no Google pela legenda da captura de tela vista no artigo, em chinês, mostrou como resultado um vídeo publicado em 2 de novembro de 2017 na página no Facebook da ONG taiwanesa “Peace Pigeon Union”.

Uma jornalista da AFP na Ásia traduziu o conteúdo e indicou que a postagem fala da “Frota Jin Ping” e traz os mesmos detalhes que a legenda da foto no artigo.

Uma pesquisa no buscador chinês Baidu por capturas de tela do vídeo levou ao site da Peta, que contém uma publicação sobre a morte de pombos-correio nas corridas sazonais em Taiwan, que consistem em serem “enviados para o mar, soltos no meio do oceano e forçados a voar de volta para casa, às vezes até mesmo com ventos fortes como tufões”.

A organização ainda mantém uma página para que as pessoas assinem uma petição e ajudem a pressionar o governo taiwanês a banir as corridas de pombos-correio.

O Checamos entrou em contato com a Peta Asia, que respondeu que o vídeo viralizado “definitivamente parece mostrar a corrida de pombos de Taiwan”. A organização explicou que se trata de um “conjunto de sete corridas esgotantes em oceano aberto, a partir de distâncias cada vez maiores”.

Ainda segundo a Peta, há rotas no sul de Taiwan - que culminam em 320 quilômetros de corridas -, onde os animais são carregados nos navios no porto de Kao-hsiung, e no norte do país.

A Peta Asia publicou em seu canal no YouTube, em setembro de 2015, um vídeo de sua investigação das corridas de pombos em Taiwan e em uma das imagens é possível observar uma cena de abertura dos contêineres azuis e liberação dos animais semelhante à da sequência viral.

Em 2019, a AFP publicou uma reportagem sobre corridas de pombos semelhantes nas Filipinas, que, além de Taiwan, também ocorrem em outros países asiáticos, como Índia e China.

Taiwan é uma ilha que tem 24 milhões de habitantes cuja democracia autônoma é reivindicada pela China, que a considera uma província rebelde e espera recuperá-la.

Dois sites franceses de checagem já fizeram a verificação da mesma sequência anteriormente, mas com diferentes alegações: de que a organização Greenpeace teria libertado diversos pássaros no mar (1) ou que funcionários da aduana dos Estados Unidos ou da Índia teriam soltado as aves (1).

Conteúdo semelhante foi verificado pelas equipes do Boatos.Org, da Agência Lupa e do Aos Fatos.

*Uma vez instalada a extensão InVID-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos