Kim Jong-un supervisiona teste em terra de tecnologia para foguetes

Seul, 19 mar (EFE).- O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, supervisionou ontem o teste em terra de um motor para foguetes e afirmou que este abre "uma nova era" na tecnologia de seu país, informaram neste domingo veículos de comunicação estatais norte-coreanos.

Em plena escalada da tensão na península da Coreia, Kim Jong-un visitou a base de Sohae, no noroeste do país, para comprovar a capacidade da última tecnologia desenvolvida pela Academia Nacional da Ciência de Defesa, segundo a agência de notícias estatal "KCNA".

O líder norte-coreano disse que o êxito do teste "marca um evento de significância histórica" e decretou "uma nova era para a indústria Juché de foguetes", de acordo com a "KCNA", que também destacou que os avanços tecnológicos da Coreia do Norte reduzem sua dependência de outros países.

Além disso, Kim Jong-un previu que o mundo "contemplará em breve o significado da vitória conseguida hoje", segundo as declarações recolhidas pela agência estatal norte-coreana.

Pyongyang divulgou esta informação no mesmo dia em que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, concluirá em Pequim um giro asiático que também lhe levou a Tóquio e a Seul, e que esteve centrado em definir uma nova estratégia perante os desafios norte-coreanos.

Na véspera, Tillerson se comprometeu a fazer "todo o possível" para evitar que exploda um conflito militar na península coreana, em um momento no qual a situação alcançou um nível "bastante perigoso", depois de se reunir com o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi.

O último teste armamentista norte-coreano aconteceu no último dia 6 de março, quando seu exército disparou quatro mísseis de médio alcance em águas japonesas.

O lançamento pretendia ser uma resposta ao que o regime de Pyongyang considera outra provocação e um ensaio para invadir seu território: as manobras militares anuais que Seul e Washington realizam nesta época em solo sul-coreano e que este ano contam com o maior número de soltados até o momento.

Em 7 de fevereiro do ano passado, o país asiático realizou seu até agora último lançamento de um foguete espacial, uma ação condenada pela comunidade internacional que a considerou um teste encoberto de projéteis de longo alcance.

O lançamento, unido ao teste nuclear realizado em setembro do mesmo ano - e seguido de outra visita de Kim Jong-un à base de Sohae para supervisionar a tecnologia para foguetes -, fez com que a ONU impusesse novas e mais estritas sanções a Pyongyang. EFE