Parlamento italiano elege presidentes da Câmara e do Senado

Roma, 24 mar (EFE).- Os partidos políticos italianos acordaram neste sábado uma repartição das presidências do Parlamento após longas horas de negociações, que concluíram com uma liderança para o Movimento 5 Estrelas (M5S) e outra para o Forza Itália (FI).

Roberto Fico (M5S) e Maria Elsabetta Casellati (FI) foram escolhidos, respectivamente, presidentes da Câmara de Deputados e do Senado, em votações realizadas praticamente de maneira simultânea em cada uma das duas câmaras.

O processo de escolha dos presidentes do Parlamento, que começou na sexta-feira, precede as negociações que deverão manter nas próximas semanas os partidos italianos para tentar chegar a um acordo sobre o futuro Governo.

Como aviso do que poderá ocorrer, no entanto, os partidos da direita revelaram que os compromissos adquiridos hoje "não prefiguram a formação do Governo e nem terão influência alguma no trâmite institucional", segundo informaram os veículos de imprensa locais.

As eleições legislativas realizadas em 4 de março não deram como resultado uma maioria clara e suficiente a nenhum dos partidos ou coalizões que se apresentaram para formar Governo sozinho.

O M5S, com seu candidato a primeiro-ministro Luigi di Maio, foi o partido mais votado e o FI, liderado por Silvio Berlusconi, faz parte da coalizão de direita que, em conjunto, recebeu mais votos dos eleitores, mas neste grupo de partidos o mais votado foi a Liga Norte (LN), de Matteo Salvini.

Este, depois de ser informado sobre os pactos das últimas horas, quis deixar claro que, apesar dos acordos que excluem seu partido da repartição das presidências no Parlamento, as conversas sobre o próximo Governo devem se basear nas iniciativas da direita.

"Do Governo falaremos mais adiante, mas pode-se começar a partir da primeira coligação, que é a de centro-direita", disse Salvini no Senado.

O novo presidente da Câmara de Deputados, votado por 422 dos 630 deputados, tem 43 anos e nasceu em Nápoles (sul), foi escolhido deputado pelo M5S pela primeira vez nas eleições de 2013 e na legislatura que acaba de terminar foi presidente da Comissão de Vigilância da "Rai", a televisão pública italiana.

Casellati, escolhida com 240 votos de um total de 320 senadores, se torna a primeira mulher a presidir o Senado italiano após ser escolhida em terceira votação na Câmara Alta do Parlamento.

A nova presidente do Senado tem 71 anos e é senadora do Forza Itali; nasceu em Rovigo (Veneto, nordeste) e teve uma cadeira na Câmara Alta durante cinco legislaturas. EFE